Especialistas criticam eventos-teste autorizados no Rio e pedem manutenção de máscaras e distanciamento

·2 minuto de leitura

RIO — Especialistas veem falhas no formato das propostas de eventos-teste que receberam a chancela da Prefeitura do Rio nesta quarta-feira, como o GLOBO noticiou. Os três eventos autorizados pelo Instituto de Vigilância Sanitária, de Zoonoses e de Inspeção Agropecuária, da Secretaria municipal de Saúde (Ivisa-SMS), estão marcados para outubro e não terão exigência de uso de máscara nem de distanciamento mínimo, desde que os participantes tenham sido testados e apresentem comprovante de vacinação.

O primeiro evento, programado já para o dia 1º, é uma festa de aniversário de 16 anos que acontecerá no Copacabana Palace, com um público estimado de 380 pessoas. O segundo, marcado para os dias 2 e 3, é uma festa para até 5 mil pessoas que acontecerá numa casa de eventos no Alto da Boa Vista. O terceiro é um festival de rock agendado para 13 a 31 de outubro e autorizado para acontecer na Praça da Pira, no Centro da cidade, ao ar livre.


Em defesa da decisão da prefeitura, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, afirmou ao GLOBO nesta quarta que “não faz sentido” exigir máscara e distanciamento social de pessoas vacinadas e testadas, mesmo que só com a primeira dose.

— Se as pessoas estão testadas e vacinadas, não faz o menor sentido exigir máscara e distanciamento. Não tem problema se nem todas as pessoas estiverem com as duas doses, pois elas vão ter sido testadas. Na maioria dos países em que foram liberados eventos-teste, nem imunização se exigia. A ideia dos eventos-testes é anterior à vacinação — afirma o secretário.

Segundo decreto municipal, o participante do evento-teste deve apresentar diagnóstico negativo de Covid-19 em exame de antígeno de SARS-Cov-2 realizado até 48h antes pelo(s) laboratório(s) vinculado à proposta. Também é preciso mostrar na porta a comprovação de esquema vacinal contra a Covid-19, o chamado “passaporte da vacina”, conforme o cronograma de vacinação da prefeitura. A partir de 1º de outubro, segundo calendário da SMS, serão exigidas as duas doses do imunizante para pessoas com 40 anos ou mais; as outras faixas etárias terão de apresentar comprovante da primeira dose.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos