Especialistas da AIEA já estão na central nuclear de Zaporíjia

A missão de inspetores da Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) para visitar a central nuclear de Zaporíjia, na Ucrânia, já chegou ao local.

Uma hora antes da chegada, ouviram-se bombardeamentos na cidade de Enerhodar, nos arredores das instalações da central, sob controlo russo.

No terreno, os técnicos da AIEA vão fazer uma inspeção de segurança.

"Temos uma missão muito importante a cumprir. Como sabem, vamos começar imediatamente uma avaliação da segurança na central nuclear, como se encontra neste momento. Vamos estar em contacto e consultar os funcionários da central", explicou o diretor-geral da Agência Internacional de Energia Atómica, Rafael Grossi.

O diretor-geral do Comité Internacional da Cruz Vermelha pediu, por outro lado, que se suspendam quaisquer operações militares perto da central e disse que um ataque seria "catastrófico."

"Em caso de necessidade nuclear, seria difícil, para não dizer impossível, assegurar assistência humanitária. Por isso, é hora de parar de brincar com fogo e em vez disso, tomar medidas concretas para proteger esta instalação e outras semelhantes de quaisquer operações militares", acrescentou Robert Mardini, diretor-geral do Comité Internacional da Cruz Vermelha.

Quer a Rússia quer a Ucrânia acusaram-se mutuamente dos bombardeamentos nos arredores da central.

Desconhece-se, para já, quanto tempo é que os inspetores ficarão por lá.

O ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov, diz esperar um relatório imparcial sobre o estado da central.