Especialistas dinamarqueses opinam que epidemia deve 'terminar por si mesma'

Mulher ora durante um serviço de drive-in sob o céu aberto em Copenhague, na Dinamarca, em 3 de maio de 2020

A epidemia de COVID-19 na Dinamarca deve terminar no curto prazo, de acordo com um relatório publicado nesta quarta-feira pela Autoridade de Controle de Doenças Infecciosas (SSI), que prevê uma segunda onda posterior.

"É possível que a epidemia morra sozinha se o atual nível de confinamento for mantido. Também deve desaparecer aplicando um cenário básico de reabertura, desde que sejam mantidas a distância física e as medidas de higiene", disse a autoridade de saúde.

"Isso se refere apenas ao curto prazo. Atualmente, a imunidade da população dinamarquesa é relativamente fraca, então há um risco considerável de que uma segunda onda da epidemia ocorra mais tarde", insistiu a autoridade.

Segundo este relatório, solicitado por toda a classe política para preparar a segunda fase do levantamento de restrições, o cenário básico é reabrir, sob certas condições, shopping centers, bibliotecas, zoológicos e a realização de atividades esportivas sem público.

Esse cenário pode ser combinado com o retorno das aulas para o ensino médio e a reabertura de bares e cafés.

Após o retorno estritamente controlado das creches e escolas primárias em 15 de abril, seguido pela reabertura de certos comércios, como salões de beleza, a taxa de reprodução ou infecção da doença passou de 0,6 a 0,9 - ou seja, o nível de contágio para cada paciente.

A epidemia causou 506 mortes na Dinamarca em mais de 10.000 casos confirmados. Além disso, 228 pessoas permanecem hospitalizadas.