Especialistas em direito eleitoral pedem a embaixadores compromisso com o resultado das eleições

*Arquivo* BRASÍLIA, DF, 18.07.2022 - O presidente Jair Bolsonaro caminha pelo Palácio da Alvorada ao lado do ex-ministro General Braga Netto após reunião com embaixadores de diversos países para tratar da transparência no processo eleitoral brasileiro. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*Arquivo* BRASÍLIA, DF, 18.07.2022 - O presidente Jair Bolsonaro caminha pelo Palácio da Alvorada ao lado do ex-ministro General Braga Netto após reunião com embaixadores de diversos países para tratar da transparência no processo eleitoral brasileiro. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A Abradep (Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político) vai enviar uma carta aos embaixadores com representação no país pedindo o compromisso com o resultado das eleições em outubro.

No documento, que será traduzido em inglês e espanhol, os especialistas vão manifestar preocupação com o atual momento de questionamento da lisura do processo eleitoral e reafirmar que, em 25 anos, nunca houve comprovação de fraude.

"O sistema eletrônico de votação é algo que pode e deve ser submetido ao escrutínio público, desde que este debate, que é legítimo, seja feito com responsabilidade e racionalidade", afirmam.

A Abradep exorta, ainda, os agentes públicos a se comprometerem com o resultado da eleição, sem fomentar discursos que possam contribuir para ruptura democrática.

O documento foi elaborado um dia após o presidente Jair Bolsonaro (PL) convocar uma reunião com embaixadores para repetir teorias conspiratórias sobre a confiabilidade do processo eleitoral.

*

CARTA NA ÍNTEGRA

Em defesa da legitimidade das instituições democráticas

A Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político (ABRADEP) vem a público manifestar sua preocupação sobre o atual momento de questionamento da lisura das eleições brasileiras.

Por décadas, a Justiça Eleitoral organiza e administra os processos eleitorais do Brasil, contando com legitimidade em sua atuação, que a Constituição lhe conferiu, para garantir integridade nos procedimentos e lisura dos resultados. O sistema eletrônico de votação é algo que pode e deve ser submetido ao escrutínio público, desde que este debate, que é legítimo, seja feito com responsabilidade e racionalidade.

No entanto, não se deve instrumentalizar um debate sério e legítimo para outros fins que não sejam aqueles de aprimoramento dos procedimentos eleitorais. Presencia-se a construção de uma narrativa que parte deste debate, que, repita-se, é legítimo, para provocar instabilidade política e colocar em dúvida a lisura dos resultados eleitorais.

Em 25 anos de uso ininterrupto, nunca foi demonstrada nenhuma fraude em qualquer urna eletrônica em todas as eleições, desde 1996. Esse dado da realidade não pode ser desconsiderado.

Compromisso pela democracia

Portanto, a ABRADEP exorta os agentes públicos a se comprometerem com o resultado das eleições que virão, não fomentando discursos que possam contribuir para uma ruptura democrática. Discursos políticos, sem nenhum fundamento sério, que colocam em dúvida a integridade dos resultados eleitorais e a autoridade da Justiça Eleitoral para o exercício de suas funções desgastam a democracia brasileira, sobretudo em tempos de alta polarização.

A ABRADEP é uma entidade que reúne cerca de quatrocentos professores, advogados, servidores, juízes, promotores, cientistas políticos, muitos com mestrado, doutorado e pós-doutorado, todos ligados ao Direito Eleitoral e Político. Apesar de plural, a confiança no sistema de votação eletrônica é uma unanimidade na ABRADEP.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos