Especialistas sugerem fiscalização extra nas urnas eletrônicas para combater fake news

·1 min de leitura
**ARQUIVO** SÃO PAULO, SP,  29.10.2020 - Justiça Eleitoral lacrando e preparando as urnas para transporte. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
**ARQUIVO** SÃO PAULO, SP, 29.10.2020 - Justiça Eleitoral lacrando e preparando as urnas para transporte. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Especialistas em direito eleitoral sugeriram ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a realização de uma fiscalização extra nas urnas eletrônicas nos dias de votação como forma de combater a disseminação de fake news sobre a segurança do equipamento.

A Academia Brasileira de Direito Eleitoral e Político sugere que mesários possam suspender a votação do eleitor e convocar fiscais de ao menos três partidos, além de outros eleitores, para testar se todos os candidatos a cargos majoritários aparecem na urna.

"A ideia é regulamentar e dar mais segurança aos mesários para resolver no dia da votação as críticas que vimos aparecer nos pleitos anteriores de que a urna não estaria registrando voto em determinado candidato", explica a advogada Juliana Pereira, da Abradep.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos