Especulado na seleção, Ancelotti diz que não foi procurado pela CBF: 'Quero ficar no Real Madrid'

O treinador Carlo Ancelotti é um dos nomes cotados para a assumir o comando da seleção brasileira, posto deixado por Tite após a eliminação para a Croácia nas quartas de final da Copa do Mundo do Catar. No entanto, o técnico do Real Madrid, em coletiva de imprensa antes do jogo contra o Real Valladolid, afirmou que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não chegou a procurá-lo.

— Não sei, nunca fui abordado por eles e a Federação do Brasil nunca me ligou. Só quero ficar no Real Madrid. Nunca pedirei ao Real que me deixe sair deste clube — disse o treinador ao ser questionado sobre o comando do Brasil.

O técnico de 63 anos tem contrato até junho de 2024 com o Real Madrid e não fechou as portas para o Brasil. A entidade considera outros nomes de estrangeiros, entre eles Jorge Jesus e Abel Ferreira, mas nenhum deles é unanimidade. Brasileiros como Fernando Diniz, Dorival Jr e Mano Menezes estão na mesma situação.

O treinador também foi questionado sobre a janela de transferência de janeiro do Real Madrid e apontou que o clube não irá se movimentar no mercado, já que não precisa de contratações por agora. Ancelotti, claro, comentou sobre o acerto com Endrick, atacante de 16 anos do Palmeiras, que só vai se juntar ao time espanhol em junho de 2024.

— Eu o conheci no ano passado, conversamos um pouco, ele chega em 2024. Estamos muito felizes por tê-lo contratado. Ele é um grande talento — relatou o treinador.