Esposa de assassino de Daniella Perez nega ser amiga de Michelle Bolsonaro: “Sou fã”

Juliana Lacerda, esposa de Guilherme de Pádua, negou que seja amiga da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Juliana Lacerda, esposa de Guilherme de Pádua, negou que seja amiga da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

Juliana Lacerda, esposa de Guilherme de Pádua, negou que seja amiga da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. As duas apareceram em uma foto juntas, tirada durante a visita de Michelle e Jair Bolsonaro (PL) a Belo Horizonte.

Segundo o site Em Off, Jair e Michelle Bolsonaro teriam participado do culto na igreja que acolheu Guilherme de Pádua, que hoje é pastor, e, depois, os quatro estiveram juntos em um almoço.

De acordo com o jornal "O Tempo", contudo, uma pessoa que estaria no almoço afirmou ao veículo que apenas Michelle e Juliana teriam se encontrado. Bolsonaro e Guilherme de Pádua, portanto, não estariam presentes.

A esposa de Guilherme de Pádua, por outro lado, nega que tenha acontecido um encontro programado entre elas. “Gente, vazou uma foto minha com a primeira-dama, falando que eu sou amiga íntima dela, e isso é mentira”, declarou em um vídeo, divulgado nas redes sociais.

“Eu simplesmente estava em uma comemoração dos 50 anos do pastor Márcio, e ela estava presente nessa festa. E eu, como todos ali, estava em uma fila para poder tirar foto com ela”, disse, em referência ao pastor Márcio Valadão.

Na manhã do dia 7 de agosto, Bolsonaro e Michelle teriam participado do culto na Igreja Batista da Lagoinha, onde Márcio Valadão é pastor. A primeira-dama discursou no local. A igreja acolheu Guilherme de Pádua em 1999, quando ele deixou a prisão. Lá, ele conheceu a atual esposa.

Juliana Lacerda ainda declarou que nunca falou com Michelle Bolsonaro, mas declarou ser fã da primeira-dama. “Eu nunca troquei uma palavra sequer com ela. Nunca mesmo. Ela nem sabia quem eu era. Ela simplesmente foi lá, gentil que é, uma pessoa extremamente simples, uma mulher de Deus, porque eu sou fã, e ela tirou essa foto comigo, como todos ali nessa fila, nessa comemoração. Foi apenas isso.”

O encontro acontece no momento em que a história do assassinado de Daniella Perez voltou a repercutir, com o lançamento do documento “Pacto Brutal”, que relata o ocorrido no crime.

Em 2018, Guilherme de Pádua já havia se posicionado publicamente como apoiador do presidente Jair Bolsonaro.