Esposa de motorista espancado até a morte por pedir uso de máscaras fala sobre o crime

Redação Notícias
·1 minuto de leitura

A morte de Philippe Monguillot, na França, na última sexta-feira (10) chocou o mundo. Motorista de ônibus, ele foi espancado e acabou morrendo no hospital após solicitar que passageiros utilizassem máscaras por conta da pandemia do novo coronavírus.

Em entrevista ao Yahoo França, Véronique, esposa de Philippe, deu depoimento emocionado falando sobre a brutalidade do caso. Foi dela, na sexta, a missão de avisar às pessoas sobre a morte.

“Recebi a ligação de um amigo, que também é colega do meu marido, falando que havia acontecido algo e Philippe estava no hospital. Não acreditei, comecei a gritar e fui atrás”, conta a esposa.

Assista a entrevista completa:

O caso

De acordo com o MP de Bayonne, o motorista Philippe Monguillot, de 59 anos, pai de três jovens, de 18, 21 e 24 anos, foi vítima de uma agressão de extrema violência, com socos na cabeça, quando tentou controlar a entrada de uma pessoa e exigiu o uso de máscara de outros três passageiros.

O ataque aconteceu no fim de semana retrasado em Bayonne, no sudoeste da França.

A agressão e a morte provocaram indignação entre seus colegas de profissão e os políticos. O primeiro-ministro Jean Castex falou sobre o motorista "agredido covardemente" e afirmou que "a justiça castigará os autores do crime abjeto".

"Decidimos deixar que partisse. Os médicos também concordaram", declarou à AFP Marie Monguillot, a filha mais nova.