Ministro britânico diz que Escócia usa o "Brexit" para promover independência

Edimburgo (Reino Unido), 4 mai (EFE).- O ministro do Reino Unido para a Escócia, David Dundell, afirmou que o Partido Nacionalista Escocês (SNP) está utilizando as negociações com o governo britânico sobre a lei do "Brexit" para fazer campanha pela independência.

Dundell afirmou à imprensa local afirmou que está "claro" que o objetivo do governo da Escócia, liderado pela ministra principal Nicola Sturgeon, é "não aceitar um acordo constitucional".

"Está muito claro e transparente que a posição do governo escocês é não querer aceitar um acordo constitucional", afirmou.

O parlamento britânico tem autoridade sobre todas as regiões do país. O ministro lembrou que a maioria dos escoceses (55%) votou pela permanecer no Reino Unido no referendo realizado em 2014.

Há meses, os governos do Reino Unido e da Escócia negociam a lei de saída da União Europeia, que incorporará a legislação do bloco ao marco legal britânico assim que a separação for concretizada.

No entanto, não há acordo em vários temas, como agricultura, pesca, política ambiental, justiça e saúde, que devem voltar para os parlamentos regionais antes de estabelecer uma legislação comum.

O governo de Sturgeon negou várias propostas de acordo porque considera que eles não respeitam a autoridade do parlamento escocês de dar consentimento formal em determinadas medidas. O Reino Unido quer que ele seja meramente consultivo.

Dundell argumentou que é necessária uma "terceira via" para resolver a situação do bloqueio entre as partes, que continuam organizando reuniões para tentar entrar em consenso.

Essas conversas poderão continuar até o dia 18 de maio, data em que a lei entrará na terceira leitura na Câmara dos Lordes do Reino Unido e prazo final para fazer emendas ao texto. EFE