Espumantes bons e baratos: veja opções para a virada

·3 min de leitura

Entra ano, sai ano, eles estão sempre lá: os espumantes. Fabricados com a segunda fermentação de um vinho branco, tinto ou rosé, têm mais bolhas e mais gás carbônico natural que os frisantes, feitos a partir da primeira fermentação. Há muitos tipos por aí, de vários preços e nacionalidades. Pedro Mello e Souza, jornalista especializado em vinhos, avisa que os brasileiros são sempre uma boa pedida:

— Os espumantes brasileiros são frescos, alegres, risonhos, uma celebração em cada copo. E com uma vantagem: acompanham uma refeição, ou uma ceia, do início ao fim, dos perus mais secos aos bacalhaus mais suculentos. Fique com os brasileiros, que não tem erro — avalia.

Além de Pedro Mello e Souza, a sommelier Elaine de Oliveira, que assina a coluna Boa de Copo da revista Marie Claire, também deu sugestões sobre espumantes que não decepcionam e podem caber no orçamento. Confira:

Dicas de Pedro Mello e Souza

Excelentes e baratos

Cristofoli e Amitié, ambos da nova guarda de enólogas gaúchas. Tanto a Bruna Cristofoli quando as enólogas da Amitié, Andreia Milan e Juciane Casagrande, estão deixando de lado a imitação dos franceses e dando identidade bem brasileira às nossas bolhas. São vinhos que mostram a juventude delas todas - e deixam os estrangeiros no chinelo. No Hemisfério Sul, não tem para ninguém. Nem para chilenos e argentinos. Cerca de R$ 80 (Cristofoli Brut Rosé) e R$ 50 (Amitié Brut).

Moscatéis

Tradição brasileira, para quem não dispensa um adocicado no vinho, que harmoniza bem com o peru e seus molhos também adocicados, o presunto tender, que tem o mel na fórmula e, claro, as sobremesas. Sugestões: Casa Perini (cerca de R$ 60) e Garibaldi (Cerca de R$ 40).

Natures

São os espumantes para tomar sem culpa, já que muitos deles têm até cinco vezes menos açúcar do que um espumante brut. Além de deliciosos e salinos, acompanham bem a quem tiver uma ceia original, com sushi e ceviche, por exemplo. Sugestão: Maria Maria (cerca de R$ 130).

Miolo e Chandon

São clássicos, sem erro, redondos, deliciosos, matam a sede com menos álcool. Se o rótulo tiver "método clássico", tem classe para acompanhar todos os pratos do início ao fim. A partir de R$ 40.

Orgânicos

Tendência dos vinhos de uvas sem aditivos e, muitas vezes, também sem os sulfitos que, para alguns, é a causa da dor de cabeça no primeiro dia do ano. E com uma vantagem: em rótulos como o Vinha Unna e o Vinética, são feitos por artesãos e têm edições limitadas e saudáveis. Melhor forma de entrar o ano brindando "saúde!".

Dicas de Elaine de Oliveira

Adolfo Lona Brut Rosé

Feito com as uvas Pinot Noir e Chardonnay pelo método charmat, é fresco e descomplicado. Cerca de R$ 75,00.

Lirica Crua

Espumante delicioso e diferente, não passa pelo processo de dégourgement (que retira as leveduras de dentro da garrafa), mantendo a sua essência e tornando-o mais complexo e cremoso na boca. Cerca de R$ 109.

Don Guerino Lumen Brut

Vem numa garrafa dourada que tem tudo a ver com as festas de ano novo. É um blend de vinhos reservas de no mínimo 3 safras e a segunda fermentação é feita em autoclaves por 12 meses. Cerca de R$ 119,00.

Bossa Brut N° 1

Com aromas de abacaxi, pêra e flores brancas, na boca é alegre e cheio de frescor. Ótima opção para quem quer um espumante de qualidade sem gastar muito. Cerca de R$ 54,90.

Valmarino&Churchill Extra Brut 2018

Espumante com acidez gostosa, com passagem por madeira, é daqueles que enchem a boca, untuoso e elegante. Cerca de R$ 120,00.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos