Esqueça a Apple: estas são as empresas que realmente produzem o iPhone

O Diretor Executivo Tim Cook apresenta o novo iPhone 11 num evento da Apple em sua sede em Cupertino, Califórnia, EUA, dia 10 de setembro de 2019. REUTERS / Stephen Lam

A Apple registrou fortes ganhos no quarto trimestre, superando as expectativas dos analistas em relação à receita e lucro por ação. Os executivos têm uma visão otimista do futuro, pensando num caminho para mudar o foco que hoje têm no iPhone para um conjunto mais diversificado de serviços e produtos - especificamente acessórios.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

BAIXE O APP DO YAHOO FINANÇAS (ANDROID / iOS)

A empresa, que ainda permanece forte em hardware, apesar de um aumento da gama de serviços oferecidos, ainda está preocupada com a guerra comercial entre China e EUA. Mas o CEO Tim Cook acredita que os conflitos diminuirão e resultarão em acordo.

Leia também

"Não conheço todos os capítulos deste livro, mas acho que isso vai acabar acontecendo", disse Cook à Reuters. "Eu certamente espero que isso aconteça durante esse trimestre, mas veremos."

A cadeia de produção da Apple está intimamente ligada à China, que também representa um mercado importante para a empresa. Mas para os investidores, é difícil entender, avaliar e comparar sua exposição ao risco quando se considera toda a rede de empresas envolvidas na fabricação dos produtos da marca.

Para ajudar a entender esses riscos e relacionamentos, o Yahoo Finanças avaliou detalhes fiscais e financeiros de três dos principais fornecedores da Apple. Estas são as empresas asiáticas que realmente colocam a mão na massa para produzir o iPhone e outros produtos, e que você deve considerar antes de investir na marca norte-americana.

Foxconn Technology

A Foxconn é uma fabricante de eletrônicos com sede em Taiwan que produz um enorme volume de iPhones e iPads para a Apple na China. Como fabricante, a empresa é uma parte extremamente valiosa da cadeia de fornecedores da Apple.

Entre as fornecedoras da Apple, a Foxconn tem a exposição a riscos e valor econômico mais alto, segundo os dados avaliados pelo Yahoo. A exposição econômica reflete o valor relativo de uma empresa para outra e, nesse caso, a Foxconn representa cerca de 4,44% do valor dos fornecedores da Apple. Em dólares, o valor da relação entre as duas empresas é de US$ 7,1 bilhões.

ON Semi

A ON Semiconductor é uma empresa que produz todos os tipos de pequenas peças para os produtos da Apple. Estamos falando de placas lógicas, gerenciamento de energia e muitos outros componentes miúdos dos circuitos - aquilo que você vê, ao abrir um iPhone.

Segundo os dados, esta empresa tem a maior "exposição financeira" entre os fornecedores da Apple. A exposição financeira é uma porcentagem forte da correlação financeira entre as duas empresas, em comparação com outras relações semelhantes.

Essa pontuação é calculada com base na correlação dos preços das ações das duas empresas e no período de tempo do relacionamento. É provável que essas empresas sejam influenciadas por fatores ou condições econômicas semelhantes, que afetam o mercado ou entre si.

Esse número é normalizado para ser um valor utilizável e comparável. Quanto mais alto o número, mais as ações normalmente se movem com as da Apple. 

Qualcomm

Qualcomm e Apple têm uma relação complicada. A Qualcomm é uma empresa de semicondutores que fabrica chips para celulares usados pela Apple. Em 2017, a Apple processou a empresa em US$1 bilhão. Em 2018, a União Europeia processou a Qualcomm por concorrência desleal a pedido da Apple. As duas empresas quase foram à Justiça este ano de novo, mas acabaram fazendo um acordo.

As duas são frequentemente mencionadas lado-a-lado na mídia, e o cálculo do número de menções em artigos de notícias pode fornecer informações sobre as relações comerciais das duas. Na mídia, onde há uma Qualcomm, geralmente há uma Apple. Isso não inclui os registros da Comissão de Títulos e Câmbio dos Estados Unidos e não é uma métrica muito "financeira", mas pode refletir como o público vê as narrativas de ambas. 

A Qualcomm também tem a maior exposição total. Esse cálculo sintetiza a correlação da exposição financeira, as notícias na mídia e a exposição econômica baseada na receita em um determinado número para que seja possível visualizar quais empresas podem ser mais afetadas uma pela outra. Qualcomm e Intel, por exemplo, provavelmente seriam afetadas por mudanças na Apple.

A Qualcomm tem a maior exposição total entre todos os fornecedores da Apple.

Ethan Wolff-Mann