Esquema da PM falha e parte de manifestantes entra sem revista na avenida Paulista

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O policiamento empregado pelo governo paulista na manifestação de 7 Setembro, estimado em cerca de 4.000 policiais, não está sendo suficiente para a revista de todos os manifestantes que estão acessando a Av. Paulista.

Em uma rua paralela que dá acesso à região do Masp, dois policiais militares faziam a abordagem do ímpar da rua, mas ignoravam as pessoas que passavam por uma calçada ao lado que também dá acesso a multidão de manifestantes ligados ao presidente Bolsonaro.

A reportagem presenciou ao menos três manifestantes que, mesmo com bolsas, entraram por essa passagem nada secreta.

Um manifestante vestido com roupas com símbolo da Aeronáutica também passou pelos policiais sem mostrar sua mochila, mesmo sem utilizar essa calçada alternativa.

Os manifestantes que não usaram a calçada paralela ou não tinham roupas ligadas as forças de segurança tinham as bolsas revistadas pelos PMs.

Em geral, os policiais recebiam de volta sorrisos e palavras de carinho. Apenas uma manifestante, com um cachorro à tiracolo, reclamou de abrir a bolsa tão pequena quanto uma carteira.

A reportagem presenciou um advogado, que se identificou apenas como o Marcelo, dizendo que tinha percebido alguém armado no meio do público.

Ele informou a três policiais militares que esbarrou no homem que tinha um volume na cintura e, pela posição, suspeitava ser uma arma.

Os PMs ouviram e, após o advogado ir embora, continuaram no mesmo lugar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos