“Essa hipótese caminha”, diz Alckmin sobre chapa com Lula para 2022

·1 min de leitura
Brazil's presidential candidate for the Brazilian Social Democratic Party (PSDB), Geraldo Alckmin gives his thumb up after voting during general elections, in Sao Paulo, Brazil, on October 7, 2018. - Brazilians began casting ballots Sunday in their most divisive presidential election in years, with a far-right politician promising an iron-fisted crackdown on crime, Jair Bolsonaro, the firm favorite in the first round. (Photo by Miguel SCHINCARIOL / AFP) / The erroneous mention appearing in the metadata of this photos BRAZIL-ELECTION-ALCKMIN has been modified in AFP systems in the following manner: [BYLINE: Miguel Schinchariol] instead of [Alexandre Schneider]. Please immediately remove the erroneous mention[s] from all your online services and delete it (them) from your servers. If you have been authorized by AFP to distribute it (them) to third parties, please ensure that the same actions are carried out by them. Failure to promptly comply with these instructions will entail liability on your part for any continued or post notification usage. Therefore we thank you very much for all your attention and prompt action. We are sorry for the inconvenience this notification may cause and remain at your disposal for any further information you may require.        (Photo credit should read MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
No caso de uma composição de chapa com Lula, Geraldo Alckmin deixaria o PSDB para ir para o PSB (Foto: MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
  • Geraldo Alckmin afirmou que hipótese de ser vice de Lula "caminha"

  • Declaração foi dada durante encontro com líderes sindicais nesta segunda

  • Alckmin ainda está no PSDB, mas, caso integre chapa com Lula, deve ir ao PSB

Nesta segunda-feira (29), o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin voltou a comentar a possibilidade de integrar uma chapa presidencial com o ex-presidente Lula. Ainda tucano, Alckmin afirmou que a hipótese de ser vice do petista “caminha”.

A declaração foi dada durante um encontro entre Geraldo Alckmin e dirigentes de centrais sindicais. Segundo o jornal O Globo, durante o encontro, Alckmin ouviu apelos para que aceite compor a chapa de Lula.

Estavam no encontro representantes Força Sindical, UGT, Nova Central e CTB – esta última, ligada ao PCdoB, não fez o pedido diretamente a Alckmin. Segundo O Globo, ao responder, Alckmin disse que se preparou para governar novamente o estado de São Paulo, mas surgiu a “hipótese federal”.

“Preparei-me novamente pra ser governador do estado. Surgiu a hipótese federal. Os desafios são grandes. Essa hipótese caminha e eu considero essa reunião com as quatro principais centrais histórica”, declarou Alckmin.

Especula-se que, para integrar a chapa de Lula, o ex-governador de São Paulo vá para o PSB. Caso ele opte por disputar comando do estado, deverá ir para o PSD.

Na fala junto à líderes sindicais, Alckmin falou sobre a conjuntura internacional e como o Brasil poderia sair da crise que vivia. Ao mesmo tempo, as temáticas estaduais ficaram de fora da conversa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos