Está faltando comida na mesa e emprego, diz Luiza Trajano

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* Sao Paulo, SP, BRASIL, 05-11-2020 Retrato da empresaria Luiza Trajano.(Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
*ARQUIVO* Sao Paulo, SP, BRASIL, 05-11-2020 Retrato da empresaria Luiza Trajano.(Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - A empresária Luiza Helena Trajano, presidente do conselho administrativo do Magazine Luiza, afirmou nesta quarta-feira (22) que está faltando, de novo, comida na mesa e a dignidade, entendida como acesso ao emprego, no Brasil.

"O que a gente está pregando muito é união. Não dá para ficar acusando um lado ou outro e continuar nisso enquanto tanta gente está precisando. Realmente está faltando comida na mesa de novo e está faltando a dignidade, que é o emprego", afirmou a empresária durante balanço do Movimento Unidos pela Vacina, iniciativa da empresária com o intuito de viabilizar a imunização contra a Covid-19.

Questionada sobre o ambiente econômico, a empresária disse que aquele não era o momento para tratar do assunto.

"A gente está preocupado. Todos nós participamos de outros movimentos. Sou do IDV [Instituto para Desenvolvimento do Varejo]. Outras pessoas são de outro. A gente está muito cuidadoso com isso mesmo. Não é um assunto para a gente trazer nesse momento. Mas a gente sabe disso. Mas também sem a vacina, sem essa cura, a gente não poderia caminhar", disse a empresária.

Trajano minizou a impacto sobre o programa de imunização da opção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de não se vacinar. Segundo ela, o país tem uma cultura de vacinação.

"O presidente pode até ter falado que não se vacinou, mas não houve nada que nos atrapalhou a continuar nossa campanha. Não podemos dizer que houve qualquer coisa que foi feita para nos atrapalhar na campanha. Acho que é uma posição pessoal dele", ressaltou.

De acordo o balanço, mais de 1,95 milhão de itens foram doados para mais de 4.000 municípios brasileiros, graças à intermediação entre empresas e poder público. As cidades estão sendo atendidas por mais 400 empresas, que distribuíram cerca de R$ 50 milhões em equipamentos, insumos e apoio para infraestrutura de vacinação. Dentre os principais itens doados estão câmaras frias, ultra freezers, caixas térmicas com medidores de temperatura e computadores.

Para Trajano, o sucesso da empreitada está em "não entrar no jogo da briga". Ela conta ter sido aconselhada a se preparar para paulada após assumir a liderança do movimento --o máximo que aconteceu foi falarem que pretende disputar a Presidência da República em 2022, o que diz ter desmentido "umas dez vezes".

"Eu até me preparei um pouquinho mais para a paulada porque poderia levar. No entanto, não. No máximo o que falaram é 'ela é candidata, vai ser vice', relatou.

Sócia fundadora da BTA Associados e membro do conselho de administração do Magalu e MRV, Betania Tanure diz que o movimento foi recebido bem pelas três instâncias governamentais por ter deixado clara a intenção de ajudar. "A crítica iria acirrar o problema, aumentar a temperatura e não trazer a solução".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos