Estátua da Havan pega fogo em SP e dono de empresa diz que foi 'terrorismo'

ARTUR RODRIGUES
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 06-08-2019 - O presidente Jair Bolsonaro, ao lado do vice presidente Hamilton Mourão, dos ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Abraham Weintraub (Educação) e do empresário Luciano Hang, durante cerimônia de lançamento da ID Estudantil, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma réplica da Estátua da Liberdade da rede de lojas Havan foi destruída por um incêndio na manhã desta terça-feira (31), em São Carlos, no interior de São Paulo. 

Imagens divulgadas mostram a estátua pegando fogo na loja, que fica na rodovia Washington Luiz.

A Secretaria da Segurança Pública afirmou, em comunicado, que investiga o episódio. 

"A representante da loja foi ouvida. A equipe policial aguarda o resultado dos laudos periciais que estão em andamento e busca por informações que auxiliem a esclarecer os fatos", diz nota da secretaria. 

O dono da Havan, Luciano Hang, publicou vídeo afirmando que se tratou de terrorismo e um ataque à democracia. Hang é conhecido por ser um dos principais apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. 

"Fomos vítimas de terrorismo, isso mesmo. Tocaram fogo na nossa estátua da liberdade, querem nos calar. Não têm propostas, não têm argumentos e aí partem para a ignorância, para o ataque físico, para colocar fogo na propriedade privada", afirmou. 

Hang afirmou que fará uma live às 15h para falar mais sobre o assunto.