Estâncias de esqui balcânicas desesperam com falta de neve

Zlatibor é uma popular estância de esqui na Sérvia mas este ano o tempo primaveril tem trocado as voltas aos amantes dos desportos de inverno. A média de temperaturas dos últimos 30 anos para o mês de janeiro na estância era inferior a -1ºC, para este janeiro espera-se que o termómetro atinja os 8ºC. Neve, nem vê-la e o caso está longe de ser único.

Na vizinha Bósnia-Herzegovina, a estância de Jahorina acolheu provas de esqui alpino nos Jogos Olímpicos de Inverno em 1984. Então, a competição teve de começar com alguns dias de atraso devido à forte queda de neve, hoje os poucos turistas presentes desesperam com a falta do habitual manto branco.

Dizem que nunca viram nada assim, os hotéis da estância foram obrigados a reduzir o número de funcionários e pedem que seja decretado um estado de catástrofe natural.

Não é só o homem a sofrer com as temperaturas anormalmente quentes. Nos Alpes austríacos, a flora local começa já a rebentar e a preparar-se para a Primavera, ficando assim vulnerável quando o frio chegar... se chegar.

Hubert Hasenauer é o responsável pelo Instituto da Floresta da Universidade de Recursos Naturais, em Viena. Sublinha a importância do frio nos meses de inverno, uma vez que evita a propagação de espécies nocivas e permite que as árvores não sejam perturbadas na sua fase de repouso.

O resultado destas temperaturas anormalmente quentes é tão belo quanto preocupante, dizem os especialistas que o fenómeno se irá tornar cada vez mais habitual no inverno na Europa.