'Estão pirateando minha biografia do Lula', diz Fernando Morais, que promete ir à Justiça

·1 min de leitura

Dois dias após o lançamento do primeiro volume da aguardada biografia do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, o autor do livro, jornalista e biógrafo, Fernando Morais, publicou em seu perfil no Facebook que a obra estaria sendo pirateada. Segundo ele, a prática está sendo feita por pessoas do PT, partido do ex-presidente.

Morais prometeu ir atrás dos culpados e processá-los já que estaria sendo roubado e vive de direitos autorais.

O primeiro volume abre com a prisão de Lula em 2019 mas se concentra no início de sua trajetória, passando por sua infância, o novo sindicalismo, as greves do ABC, a fundação do PT e a primeira campanha eleitoral. Os anos de Lula como presidente serão abordados nos livros seguintes.

Nascido em Mariana (MG), Fernando Morais passou pelas redações da revista "Veja", do "Jornal da Tarde", do "Jornal do Brasil" e da "Folha de S.Paulo" antes se tornar um dos mais festejados biógrafos do Brasil. É autor de obras sobre o magnata da imprnesa Chateaubriand ("Chatô, o rei do Brasil"), o escritor Paulo Coelho ("O Mago") e a líder comunista Olga Benário ("Olga"), esposa de Luís Carlos Prestes. Seu primeiro best-seller foi "A ilha", relato de uma viagem a Cuba publicado em 1976. Morais ganhou o prestiioso Prêmio Esso de Jornalismo em três ocasiões.

Entre 1988 e 1991, foi secretário de Cultura do estado de São Paulo nas gestões de Orestes Quércia e Luiz Antônio Fleury Filho, ambos do antigo PMDB. Pelo mesmo partido, foi deputado estadual por dois mandatos. Em 2002, chegou a concorrer ao governo paulista, mas desistiu da disputa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos