Estações do BRT vão ser patrulhadas por 126 PMs e guardas municipais

·2 minuto de leitura

Policiais militares e guardas municipais passarão a fazer patrulhamento dentro das estações dos três corredores expressos da cidade para garantir mais segurança aos usuários e combater furtos, calotes e vandalismo. O projeto BRT Seguro foi lançado nesta quarta-feira e, numa primeira fase, englobará as 28 estações consideradas mais críticas no Transoeste, Transcarioca e Transolímpica.

Inicialmente, 12 estações já receberam o patrulhamento nesta quarta-feira. A previsão é a de que, em até 15 dias, outras 16 já estejam contempladas. As ações serão das 7h às 19h e feito por três policiais militares. No intervalo entre 19h e 7h, a segurança incluirá rondas móveis que percorrerão as calhas do BRT.

—O BRT é muito simbólico. Bem operado, é um sistema que funciona muito bem. O esforço que a gente faz, que não tem mágica, é para devolver o BRT à população, para que tenha qualidade de vida — disse o prefeito Eduardo Paes durante cerimônia de lançamento do projeto no Centro de Controle Operacional do BRT, no Terminal Alvorada, na Barra da Tijuca.

O prefeito disse ainda, na ocasião, que as obras do corredor Transbrasil serão retomadas em agosto. A estimativa é que sejam concluídas até o fim do ano que vem.

O secretário municipal de Ordem Pública, Brenno Carnevalle, informou que, em princípio, serão utilizados nesse patrulhamento diário das estações do BRT, 96 PMs e 30 guardas municipais. Antes de iniciarem o trabalho eles passaram por um treinamento interno específico. Os policiais militares atuarão nas folgas por meio de inscrição no Programa Estadual de Integração na Segurança (PROEIS).

Antes mesmo de começar a atuação para valer, nesta terça-feira, durante uma ambientação, os agentes conseguiram prender quatro pessoas acusadas de roubo e receptação. Na mesma ação, a equipe também recuperou em Santa Cruz, na Zona Oeste, oito metros de corrimão retirado de estações.

— Já foi o primeiro passo desse projeto que hoje a gente lança focando sempre na prevenção à violência, na inteligência e na qualificação das pessoas para trazer segurança para a população — disse o secretário de Ordem Pública.

De acordo com dados da intervenção, desde o início do ano, o sistema já acumula 369 furtos de peças ou equipamentos, 62 casos de vandalismo e danos ao patrimômio e três casos de incêndio. Os registros de depredação são constantes. Na noite de ontem, por exemplo, dois articulados foram apedrejados na altura da estação Colônia, no corredor Transolímpica. Nas últimas duas semanas outros quatro ônibus do BRT foram vandalizados no mesmo local.

Há pouco mais de uma semana, duas estações foram incendiadas: a Cajueiros, no corredor Transoeste, e a Olof Palme, no Transolímpica. Nesta última, a bilheteria e as chapas de ferro ficaram destruídas. Não houve feridos em nenhum dos locais. Os prejuízos com esses dois incêndios são estimados em R$ 500 mil. A Cajueiros e a Olof Palme estão fechadas por causa de furto e vandalismo, informou o BRT na ocasião.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos