Esta imagem não é “a mais nítida” já tirada do Sol, ela foi retocada

Uma foto do sol, supostamente, "a mais nítida já registrada", dessa estrela, foi compartilhada mais de 6 mil vezes nas redes sociais desde o início de maio de 2022. No entanto, a imagem é fruto da edição de um fotógrafo independente.

“A mais nítida imagem do Sol já registrada”, dizem as publicações no Twitter (1, 2), Facebook (1, 2) e Instagram (1, 2).

E acrescentam: “O Sol não é feito de fogo, sua energia vem da fusão nuclear em seu núcleo, onde a temperatura ultrapassa os 15 milhões de graus e a pressão é imensa. Ele funde átomos de hidrogênio em hélio, liberando energia na forma de luz e calor no processo. A cada segundo, ele converte 600 milhões de toneladas de hidrogênio em 596 milhões de toneladas de hélio, os 4 milhões de toneladas restantes de matéria são convertidos em energia, processo que continuará pelos próximos 5 bilhões de anos”.

Captura de tela de uma publicação no Twitter feita em 11 de maio de 2022 ( . / )

Em maio de 2021, a mesma publicação já havia viralizado nas redes sociais (1, 2).

Conteúdo similar circula em espanhol.

As publicações viralizadas asseguram que o autor da fotografia é “Jason Guenzel”. Uma busca por essas palavras no Google levou à conta @thevastreaches no Instagram, propriedade de um fotógrafo com esse nome. Na descrição do perfil, garante:

“Fotografando as curiosidades do universo que te rodeia. Todas as imagens/vídeos são de minha criação”.

A equipe de checagem de fatos da AFP encontrou a imagem viral publicada em 12 de janeiro de 2021 na rede social do fotógrafo com a legenda em inglês: “Esta parte do sol se viu embaçada pelas más condições atmosféricas, deixando perdas no contraste e nos detalhes. Aproveitei a oportunidade para processar em grande parte a imagem, resultando em uma interpretação estilizada da superfície visível do sol”.

Ele também detalhou os procedimentos que aplicou sobre a fotografia, como “traçar as linhas do campo magnético da superfície” do Sol, e explicou: “Isto passa da ciência à arte, mas não descartaria por completo que estejamos vendo indícios de fenômenos reais”.

Outras publicações (1, 2), que atribuem a mesma imagem à Nasa, circulam desde 2021 e já foram verificadas pela equipe de checagem da AFP em espanhol.

Imagens da Solar Orbiter

Em julho de 2020, a sonda euro-americana Solar Orbiter revelou imagens inéditas do Sol. “Nunca se havia visto o Sol tão de perto”, apontou na época à AFP Anne Pacros, responsável por essa colaboração entre a Agência Espacial Europeia (ESA) e a Administração Nacional de Aeronáutica e do Espaço (Nasa).

Nesta missão, foram captadas imagens a 77 milhões de quilômetros do Sol que evidenciaram minierupções de plasma próximas à superfície do astro.

( AFP / Jonathan WALTER, Kun TIAN, Maria-Cecilia REZENDE)

O sol

Sobre os dados compartilhados nas publicações virais, uma informação publicada no site da Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM) explica que o Sol é uma estrela formada principalmente de hidrogênio e hélio, que irradia energia do seu núcleo.

As características do seu núcleo permitem que essa energia se transforme a partir da matéria: “Isso acontece [porque a sua] pressão é mais de mil vezes a da atmosfera terrestre, a densidade é 160 vezes a da água e a temperatura é cerca de 16 milhões de graus centígrados”, especifica o artigo.

E acrescenta: “Calcula-se que no interior do Sol a cada segundo se transformem mais de quatro milhões de toneladas de matéria em energia. A energia resultante das reações termonucleares viaja do centro até a superfície do Sol, onde é irradiada em forma de luz ao espaço circundante”.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos