"Estado da União": energia e futuro da Ucrânia na UE

"Estado da União": energia e futuro da Ucrânia na UE

À medida que a guerra de atrito continua no leste da Europa, o governo ucraniano fez uma avaliação bastante séria esta semana, dizendo que as sanções ocidentais não estão a prejudicar a economia da Rússia tanto quanto se esperava.

Na verdade, as receitas contínuas obtidas com commodities garantem que as finanças da Rússia continuam estáveis, acrescentou Kiev.

As palavras foram música para os ouvidos daqueles que sempre defenderam medidas mais fortes, especialmente no setor de energia.

Ao mesmo tempo, a União Europeia (UE) continua a estratégia de encontrar "fornecedores confiáveis" de energia, que possam fazer o trabalho, como disse Ursula von der Leyen, a presidente do executivo comunitário.

Esta semana, a UE assinou um acordo de gás com Israel e Egito, destinado a reduzir ainda mais a dependência energética da Rússia.

O assunto está em destaque nesta edição do programa "Estado da União", onde também nos debruçamos sobre o estatuto de país candidato da Ucrânia para aderir à União Europeia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos