Polícia sueca confirma que detido por ataque em Estocolmo é de origem uzbeque

Estocolmo, 8 abr (EFE).- A polícia da Suécia confirmou neste sábado que o detido como suposto autor do atentado de ontem com um caminhão no centro de Estocolmo é um uzbeque de 39 anos, mas não esclareceu se o mesmo é simpatizante do Estado Islâmico (EI), como apontaram alguns veículos de imprensa.

"Nada indica que detivemos a pessoa errada, ao contrário disto, as suspeitas ficam mais evidentes na medida em que a investigação avança. Mas ainda não podemos descartar o envolvimento de mais pessoas", declarou o chefe da polícia nacional, Dan Eliasson, em entrevista coletiva para informar sobre o ataque, no qual morreram quatro pessoas e outras 15 ficaram feridas.

A cúpula policial se negou a confirmar, no entanto, se o indivíduo confessou ser o motorista do caminhão roubado, quando chegou à Suécia e seus supostos motivos.

Eliasson informou que a polícia está analisando um objeto encontrado no interior do caminhão, mas também não quis esclarecer se seria uma bomba de fabricação caseira que não chegou a explodir, como antecipou a emissora pública de televisão "SVT", citando fontes policiais.

"Encontramos um dispositivo no veículo que não deveria estar ali. Se é uma bomba ou algum tipo de explosivo, nós não sabemos. Há investigações técnicas em andamento", afirmou Eliasson.

O chefe do serviço de inteligência da Suécia (SÄPO, sigla em sueco), Anders Thornberg, informou durante a entrevista coletiva que o detido não figura em nenhum de seus registros, mas que, há um ano, o órgão recebeu informações sobre ele vindas do exterior que não puderam ser contrastadas.

A polícia também não quis oferecer detalhes sobre os mortos, já que a identidade dos mesmos ainda não foi determinada.

Um caminhão avançou ontem pouco antes das 15h locais (10h de Brasília) sobre a principal rua de pedestres de Estocolmo e, após percorrer um trecho atropelando pedestres, se chocou contra a entrada principal de uma conhecida loja de departamentos da capital sueca.

O caminhão, um veículo de distribuição de cerveja roubado minutos antes do atentado, foi rebocado durante a madrugada para ser analisado pelos técnicos.

A Suécia decidiu fortalecer os controles nas fronteiras nos próximos dias para impedir que "o autor e eventuais colaboradores possam deixar o país", segundo o ministro do Interior, Anders Ygeman. EFE