Estado Islâmico mata 7 soldados iraquianos em ataque perto da fronteira síria

BAGDÁ (Reuters) - O Estado Islâmico intensificou ataques em posições militares do Iraque próximas à fronteira com a Síria, matando sete soldados e ferindo 12 em dois ataques realizados no domingo e nesta terça-feira, segundo fontes militares.

O Estado Islâmico tem lutado desde outubro contra uma ofensiva apoiada pelos Estados Unidos em Mosul, a maior cidade sob controle do grupo tanto na Síria como no Iraque.

Quatro soldados foram mortos e quatro ficaram feridos nesta terça-feira em uma posição militar nas redondezas de Rutba, uma cidade que controla o acesso para as fronteiras com a Síria e com a Jordânia, segundo as fontes.

Três soldados foram mortos e oito ficaram feridos no domingo, em Akkashat, ao norte de Rutba, nas redondezas da fronteira síria, informaram. O Estado Islâmico já reivindicou o ataque em Akkashat.

A fronteira com a Síria é foco histórico da dura insurgência sunita desencadeada pela invasão do Iraque liderada pelos Estados Unidos, que deu força à maioria xiita da nação rica em petróleo.

O Estado Islâmico, a mais recente personificação dessa insurgência, invadiu um terço do Iraque em 2014, declarando da cidade de Mosul um "califado" que também abrange partes da Síria.

Os militantes foram desalojados da maioria das cidades que tinham capturado e agora estão sitiados no noroeste de Mosul.

(Reportagem de Ahmed Rasheed)