Estado Islâmico tem novo revés no leste da Síria

O EI ainda conserva partes isoladas do território sírio, a leste do país, após a perda gradual da área que controlava quando proclamou, em 2014, um "califado" entre Síria e Iraque

Uma coalizão árabe-curda na Síria, apoiada pelos Estados Unidos, anunciou neste domingo (17) a conquista de uma região no leste do país até então nas mãos do grupo Estado Islâmico, aproximando-se a 3 km da fronteira iraquiana.

Mais de 30 extremistas foram mortos desde sábado em combates com as Forças Democráticas Sírias (FDS), que reconquistaram a área de Dachica, perto da fronteira com o Iraque, informou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH).

O EI ainda conserva partes isoladas do território sírio, a leste do país, após a perda gradual da área que controlava quando proclamou, em 2014, um "califado" entre Síria e Iraque.

Dachicha representava um "feudo importante do EI na província de Hasaké" e fica em um "corredor vital" que une o que antes foram territórios extremistas na Síria e no Iraque, segundo o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

No começo de maio, as FDS anunciaram o lançamento da fase final de sua ofensiva contra o EI no leste do país.

Os extremistas contam agora menos de 3% do território sírio, contra cerca de 50% no fim de 2016, segundo o OSDH.

A guerra na Síria começou em março de 2011 com a repressão de manifestações pró-democracia, mas evoluiu para um complexo conflito, que deixou mais de 350.000 mortos e milhões de deslocados e refugiados.