Estado Islâmico planejou matar George W. Bush; veja o plano

Um braço do Estado Islâmico teria planejado o assassinato de George W. Bush, segundo o FBI. Foto: REUTERS/Evelyn Hockstein.
Um braço do Estado Islâmico teria planejado o assassinato de George W. Bush, segundo o FBI. Foto: REUTERS/Evelyn Hockstein.
  • Esquema foi descoberto graças a informantes do FBI

  • Operador do esquema chegou a viajar para fazer reconhecimento de propriedades de Bush

  • Grupo é braço do Estado Islâmico

Um suposto operativo do Estado Islâmico nos Estados Unidos planejou o assassinato do ex-presidente George W. Bush. Um grupo teria, inclusive, viajado para Dallas, no Texas, em novembro do ano passado para filmar os arredores de sua casa e recrutar ajuda, que seria levada ao país pela fronteira com o México, segundo informações de um mandado de busca do FBI obtido pela revista Forbes.

O documento do FBI é datado de 23 de março e foi revelado em Ohio. Segundo a corporação, o esquema veio à tona graças ao trabalho de dois informantes e da revelação de conversas pelo aplicativo WhatsApp. O susposto operativo do Estado Islâmico, sediado em Columbus, no estado de Ohio, teria dito que queria assassinar Bush por entender que o ex-presidente é responsável pela morte de vários iraquianos e destruir o país, após ordenar sua invasão em 2003, segundo informações do mandado do FBI.

Mesmo enfraquecido pelas ações norte-americanos, o Estado Islâmico segue uma preocupação para a corporação, que inclusive tem conseguido burlar as medidas de segurança do aplicativo, o que eles teriam dito que não é possível, segundo a Forbes.

O organizador do esquema estaria nos EUA desde 2020 e tinha um pedido de asilo pendente, segundo o documento do FBI. Em novembro do ano passado, o suspeito revelou ao informante da corporação o plano para assassinar Bush e perguntou se ele sabia como “obter réplicas e/ou identificações fraudulentas e distintivos do FBI”. Ele também teria questionado sobre a possibilidade de trazer ajudantes pela fronteira mexicana.

O líder do plano teria também expressado a vontade de matar um ex-general iraquiano, que ajudou os norte-americanos durante a invasão ao Iraque e que estaria vivendo com uma identidade falsa nos EUA, segundo os investigadores.

O criador do plano afirmava ser parte de uma unidade do EI chamada “Al-Raed”, que significa “trovão”, e que era comandada por um ex-piloto iraquiano que trabalhou para Saddam Hussein. O homem teria morrido recentemente no Qatar. O grupo mandaria diversas pessoas para executar o plano de matar Bush. Enquanto isso, o suspeito deveria “localizar e vigiar as residências e/ou escritórios do ex-presidente Bush e obter armas de fogo e veículos para serem usados no assassinato”.

Depois de viajar para Dallas para filmar a casa de Bush, o acusado também registrou imagens do Instituto George W. Bush, segundo agentes federais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos