Estado de Nova York abre inquérito criminal sobre finanças da Organização Trump

·1 minuto de leitura
Ex-presidente dos EUA Donald Trump

Por Noeleen Walder e Jan Wolfe

NOVA YORK (Reuters) - A Procuradoria-Geral do Estado norte-americano de Nova York disse na terça-feira que iniciou uma investigação criminal sobre a empresa do ex-presidente Donald Trump, aumentando o risco legal para ele e sua família.

A procuradora Letitia James está investigando se a Organização Trump relatou valores de propriedades falsos para garantir empréstimos e obter benefícios econômicos e fiscais.

O anúncio mais recente marca outra escalada da ameaça legal que Trump enfrenta quatro meses depois de deixar o governo, elevando a três o número de investigações criminais conhecidas sobre o político republicano.

"Informamos a Organização Trump que nossa investigação sobre a organização não é mais puramente de natureza civil", disse Fabien Levy, um porta-voz da Procuradoria-Geral, em um comunicado.

"Agora estamos investigando a Organização Trump ativamente em caráter criminal, juntamente com a Procuradoria-Geral de Manhattan."

Não foi possível fazer contato de imediato com a Organização Trump, o negócio familiar do ex-presidente. Ele diz que a investigação supervisionada pela democrata James tem motivação política.

James está investigando se a Organização Trump inflou os valores de algumas propriedades para conseguir empréstimos melhores e se baixou seus valores para obter descontos de impostos imobiliários.

Separadamente, o procurador do distrito de Manhattan, Cyrus Vance, está investigando os negócios pré-Presidência de Trump há mais de dois anos.

(Reportagem adicional de Eric Beech e Jason Szep em Washington, Jonathan Stempel em Nova York e Dan Whitcomb em Los Angeles)