Estado de NY anuncia 731 mortes por coronavírus, maior número em 24h

Equipe de emergência transporta paciente do hospital Wyckoff Heights, em 7 de abril, no Brooklyn, Nova York

O estado de Nova York registrou seu maior número de mortes por coronavírus nas últimas 24 horas, 731, embora o total de internações pareça estar se estabilizando - anunciou o governador de Nova York, Andrew Cuomo, nesta terça-feira (7).

A COVID-19 já deixou 5.489 mortos no estado de Nova York, o mais afetado pela pandemia nos Estados Unidos, informou Cuomo, em entrevista coletiva.

Depois de dois dias em que o número de mortos em 24 horas caiu para 599 e 594, Nova York teve o maior número de mortos na segunda-feira, 731.

Mas as hospitalizações estão caindo nos últimos três dias em razão das fortes medidas de confinamento tomadas pelo estado, assegurou Cuomo.

"Estamos projetando que estamos atingindo um patamar de número de hospitalizações", afirmou o governador.

As estimativas mostram que a curva "está começando a cair".

"As internações diárias em terapia intensiva estão caindo, e isso é uma boa notícia. A quantidade de intubações está diminuindo, e isso é uma boa notícia", acrescentou.

O governador pediu aos moradores de Nova York que não deixassem suas casas, a menos em casos estritamente necessários.

"O que fazemos afeta o número de casos, nossa conduta afeta o número de casos", lembrou.

O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, também disse que o número de respiradores necessários para pacientes com coronavírus "melhorou nos últimos dias".

"A boa notícia é que isso nos dá mais tempo" para conseguir mais respiradores, ressaltou o prefeito em entrevista coletiva.

Os hospitais de Nova York estão operando com capacidade máxima devido à COVID-19, e a cidade instalou instalações médicas temporárias no Central Park e no Centro de Convenções Jacob Javits.

Também está se preparando para abrir outra nos próximos dias na gigante catedral de St. John the Divine, no noroeste de Manhattan, que receberá pelo menos 200 pacientes com COVID-19, bem como no estádio que abriga o US Open de Tênis em Flushing Meadows, Queens.

A nave central da catedral, o maior edifício gótico do mundo, já foi esvaziada e caixas com equipamentos se acumulam ao lado dela, confirmou um jornalista da AFP nesta terça-feira. Parte do hospital temporário será instalada na cripta.

Os Estados Unidos registraram mais de 368.500 casos de coronavírus e 11.018 mortes, de acordo com a contagem mais recente da Universidade Johns Hopkins.