Estado do Rio tem mais de 60 mil vagas de emprego; veja como se candidatar

Camilla Pontes, Letycia Cardoso, Patricia Valle e Stephanie Tondo
·5 minuto de leitura

O desemprego bateu recorde no Rio de Janeiro em outubro, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa Pnad Covid19 aponta para mais de 1,2 milhão de pessoas fora do mercado de trabalho no estado, cerca de 405 mil a mais do que o registrado em maio. Apesar disso, o número de vagas abertas superou o total de postos fechados pelo terceiro mês seguido, em setembro, de acordo com a plataforma Retratos Regionais da Federação das Indústrias do Rio (Firjan) — o que aponta para uma recuperação, ainda que tímida, do mercado de trabalho fluminense. Segundo o Banco Nacional de Empregos, há cerca de 60 mil oportunidades abertas atualmente no estado (leia na página ao lado).

— O que a gente tem percebido é que a recuperação econômica tem acontecido de uma forma mais rápida do que se esperava no início da pandemia. Esse foi o terceiro mês seguido de vagas abertas no Rio, e a cada mês o número de oportunidades é maior. Cerca de 28% das vagas perdidas na indústria já foram recuperadas. Considerando todos os segmentos, foram 4,4% — explica Jonathas Goulart, gerente de Estudos Econômicos da Firjan.

A indústria tem puxado a recuperação do mercado de trabalho no Rio, impulsionada pelos setores de construção civil e indústria de transformação. Em seguida, está o comércio, que ganhou fôlego com a chegada de datas como a Black Friday e o Natal.

De acordo com o economista do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), Rafael Zanderer, a proporção de empresários que pretende contratar funcionários temporários no Estado do Rio neste fim de ano é semelhante à de 2019. No entanto, isso não significa o mesmo número de vagas será aberto. Uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNC) estima que 70.700 trabalhadores temporários serão contratados em todo o país para atender ao aumento sazonal das vendas. O número é 19,7% menor do que o registrado ano passado (88 mil).

— Tivemos uma queda significativa da confiança dos empresários a partir de abril. Ela já melhorou um pouco, mas ainda não atingiu o mesmo patamar de 2019. Além disso, grande parte das vagas temporárias são abertas pelos shopping centers, que ainda estão às moscas... Acredito que quem tem mais experiência e qualificação vai conseguir uma oportunidade — analisa o economista.

Entre as ocupações mais demandadas estão: vendedores (34.600), operadores de caixa (12.100), atendentes (8.200), repositores de mercadorias (6.900) e embaladores de produtos (2.900).

A notícia positiva é sobre remuneração: segundo cálculos da CNC, o salário médio para as vagas temporárias no Natal deverá ser de R$ 1.319, valor 4,6% maior em comparação ao de 2019. Os maiores salários deverão ser pagos pelas lojas especializadas em vendas de produtos de informática e comunicação (R$ 1.618) e pelo ramo de itens farmacêuticos, de perfumaria e cosméticos (R$ 1.602). Operadores de caixa (R$ 2.272,78) e repositores (R$ 1.576,24) devem receber os maiores salários médios.

O Banco Nacional de Empregos (BNE) está com mais de 59 mil vagas abertas no estado do Rio de Janeiro, entre posições efetivas, temporárias, para contrato autônomo e para estágio e aprendiz.

As posições com maior procura são: vendedor (2476), estagiário (2290), vendedor externo (1524), auxiliar de serviços gerais (1328), auxiliar administrativo (1125), representante comercial (1066), atendente (908), recepcionista (854), consultor de vendas (833), cozinheiro (652), promotor de vendas (610), técnico de enfermagem (562), vendedor interno (558), corretor de imóveis (539), assistente administrativo (516), auxiliar de cozinha (488), auxiliar de cozinha (440) e aprendiz (404).

O BNE conta com mais de 135 mil empresas cadastradas, que buscam currículos diariamente e oferecendo diversas novas oportunidades de trabalho todos os dias.

— A quantidade de vagas abertas no estado do Rio de Janeiro mostra um movimento de recuperação de mercado de trabalho. À medida que o mercado reaquece, com a diminuição do isolamento social e reabertura do comércio, as empresas voltam a contratar – afirma José Tortato, Gerente de Negócios do BNE.

Nesse momento, muitas vagas são temporárias, já que as empresas estão buscando reforço para as vendas de fim de ano e para repor trabalhadores que podem estar incapacitados de trabalhar devido à pandemia. Além disso, as empresas estão querendo retomar as contratações aos poucos.

— Como as empresas podem não estar seguras fazendo um contrato efetivo, elas buscam o trabalhador temporário para que o risco seja mitigado — analisa Tortato.

No entanto, os especialistas afirmam que as vagas temporárias são importantes não só pela renda que garantem no período, mas também porque aumentam a experiência e o currículo para uma oportunidade futura.

A Fundação Leão XIII retomou em setembro os mutirões em que oferece diversos serviços gratuitos para a população como a emissão da segunda via de documentos pessoais. Desde que lançou, em setembro, o serviço de orientação para emissão de carteira de trabalho digital nas ações sociais, a Fundação Leão XIII já realizou 40 atendimentos para CTPS Digital. A próxima ação está marcada para o dia 20 de novembro, feriado do Dia da Consciência Negra, a partir das 9h, em Vigário Geral, na Zona Norte, em parceria com o grupo AfroReggae.

A ação social inclui ainda a orientação para tirar dúvidas sobre como solicitar o seguro-desemprego e auxílio para fazer as inscrições no portal Emprega Brasil, a plataforma da Secretaria do Trabalho. Recentemente, a Fundação Leão XII fez outros mutirões no Morro da Chacrinha, na Praça Seca, na Zona Oeste; em Manguinhos, no Morro do Turano, na Tijuca, ambos na Zona Norte e no município de Araruama, na Região dos Lagos.

Segundo a instituição, todas as ações acontecem seguindo protocolos de segurança recomendados. Entre as medidas adotadas, estão os atendimentos limitados, com a distribuição de senhas; o espaçamento entre as pessoas deve ser de pelo menos 1,5 metro e é obrigatório o uso de máscara e álcool gel. O atendimento está sendo feito somente para uma pessoa, sem a presença de acompanhantes, com exceção para crianças, pessoas idosas e pessoas com deficiência.

Nos mutirões, também é possível conseguir gratuidade da segunda via da carteira de identidade e certidões de nascimento, casamento e óbito. A população pode esclarecer dúvidas sobre a emissão do Vale Social — documento que assegura a gratuidade em ônibus intermunicipais para pessoas com doenças crônicas.

“Seguindo todos os protocolos de segurança essenciais, programamos a retomada das ações tendo em vista que trata de um serviço de grande importância para muitas pessoas, além do fato da isenção de documentos ser um direito do cidadão”, comentou Andrea Baptista, presidente da Fundação.