Estado do RJ proíbe acesso a praias durante feriados antecipados por Covid-19

Rodrigo Viga Gaier
·1 minuto de leitura
Praia de Ipanema vazia após proibição de acesso para conter a Covid-19

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo do Estado do Rio de Janeiro proibiu nesta quarta-feira a permanência das pessoas nas praias do litoral fluminense e o banho de mar durante os 10 dias do "superferiado" a partir de sexta-feira criado com a antecipação de feriados para enfrentar a pandemia de Covid-19.

"Nossa missão é salvar vidas. As novas medidas são essenciais para conter a disseminação da doença. Precisamos reduzir o número de casos e de mortes", disse o governador do RJ, Cláudio Castro.

A cidade do Rio já havia proibido no último fim de semana o acesso total às praias, mas decidiu flexibilizar a medida no feriado, autorizando atividades esportivas individuais na orla da capital.

O decreto estadual autoriza que bares, restaurantes e lanchonetes funcionem com até 50% da capacidade de lotação, sendo o consumo de bebidas alcoólicas autorizado apenas para clientes sentados. Na capital, no entanto, regra da prefeitura determina o fechamento de todos os serviços não essenciais.

A fila de espera por leitos no Rio bateu recorde mais uma vez nesta quarta, e a taxa de ocupação de UTIs no Estado está perto de 90%. O Estado tem quase 35.500 mortes e cerca de 630 mil casos confirmados de Covid-19 na pandemia.