Estado de São Paulo decreta quarentena por 15 dias a partir de terça-feira

Vendedora usa uma máscara facial como medida preventiva contra o novo coronavírus, no centro de São Paulo

O governador do estado de São Paulo, a capital econômica da América Latina e o mais atingido do Brasil pela pandemia do coronavírus, decretou a quarentena por 15 dias a partir de terça-feira, o que implica o fechamento de "serviços não essenciais".

"O governo do estado de São Paulo está decretando quarentena por 15 dias a partir de 24 de março", declarou o governador João Dória em coletiva de imprensa, explicando que a medida "implica a determinação do fechamento de todo o comércio e serviços não essenciais".

Dória explicou que fecharão os "bares, cafés e restaurantes" nos 640 municípios de São Paulo, que conta com 46 milhões de habitantes e registra 15 mortos pelo COVID-19 e 396 infectados.

A capital do estado tem 13 milhões de habitantes, tornando-se a cidade mais povoada da América Latina.

Por outro lado, os serviços de saúde, segurança, bancos, supermercados, padarias e o transporte público continuarão funcionando, mas respeitando as medidas de prevenção de contágios.

"Nenhuma medida aqui anunciada é restritiva ao trabalho das indústrias. A indústria não tem atendimento ao público", explicou Dória.

O Brasil, com mais de 210 millhões de habitantes, registra 11 mortos e 904 infctados, a maioria nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, segundo dados oficiais.