Estado vai administrar Linha Vermelha junto com prefeitura do Rio

O secretário estadual de Transportes e Mobilidade Urbana, Washington Reis, anunciou nesta segunda-feira que o estado reassumiu parcialmente a administração da Linha Vermelha. A via expressa estava integralmente sobre a gestão da prefeitura do Rio desde os anos 1990. Reis tomou posse nesta segunda-feira, assim como os outros integrantes do governo Cláudio Castro.

Entrevista: 'Viramos o ano com R$ 12 bilhões em caixa. Isso dá tranquilidade para trabalhar’, diz Cláudio Castro

Lista de aliados: Veja os nomes anunciados por Castro para secretariado de 2023, que tem novidades e mudanças na estrutura

— Reassuminos hoje o trecho entre o Fundão e a Baixada Fluminense. Já começamos a fazer melhorias. O trecho do Caju ao Fundão fica com a prefeitura porque é mais da cidade mesmo — disse Reis.

O secretário acrescentou que pretende reforçar com a Polícia Militar as operações combater o furto de cabos da Supervia.

IPVA 2023: veja o calendário e saiba como calcular o imposto

— Acabou essa história de roubo de cabos. Os bandidos terão que devolver — disse Washington Reis.

Já o secretário Intergeracional de Juventude e Envelhecimento Saudável, Alexandre Isquierdo, afirmou que pretende estabelecer parcerias com igrejas para implementar projetos da pasta. Isquierdo é evangélico e foi um dos principais articuladores da campanha do Castro com esse grupo religioso.

— Eu acho que é um canal, acho que a gente pode fazer parceria com essas instituições. Por exemplo, a gente tá com uma ideia de fazer fórum de empreendedorismo e eu acho que as igrejas podem ser uma base pra receber esses projetos, até porque já tem estrutura, né? Até pela economicidade, você já tem som, você já tem ar-condicionado, você já tem banheiro você tem toda uma estrutura. E não quero focar só na igreja evangélica mas católica também. A gente quer fazer sim parceria, eu fui líder de jovens durante muitos anos, tenho uma expertise nessa área, acho que a gente pode somar de forma republicana, vamos dizer assim.

Primeiro ato do novo governo: Castro extingue seis secretarias e cria cinco novas pastas no Rio

Redução de filas na saúde

O secretário estadual de Saúde do Rio, Dr Luisinho, disse que entre as prioridades da nova gestão estão reduzir as filas das demandas por serviços de alta complexidade de cardiologia e oncologia. O tamanho exato da fila ainda não é conhecido porque podem haver dados superpostos dos serviços de regulação dos municípios.

Equipamentos para tropas de elite: Cláudio Castro diz que vai 'lutar judicialmente em todas as instâncias' contra câmeras no Bope e na Core

Em entrevista ao GLOBO no fim de semana, o governador Cláudio Castro já havia anunciado ter planos para expandir esses serviços no interior:

— A gente precisa também avançar em algumas ferramentas digitais que avançaram no mundo para agilizar esses atendimentos. Aproveitar que a situação financeira do estado se encontra melhor — disse Luisinho.

Confira as datas: Rio terá 11 feriados prolongados em 2023

Dentre desses planos, o estado deve inaugurar ainda neste semestre a ampliação do Instituto do Cérebro, no Centro do Rio, e concluir as obras do Rio Imagem Baixada e do Hospital do Câncer de Friburgo, esta ainda com a necessidade de ser equipado.

O secretário acrescentou que pretende ainda se encontrar com a ministra da Saúde, Nisia Trindade, para buscar uma solução para vagas fechadas na rede federal.

— Esse é um problema não só do Rio, mas nacional — disse.

Educação, saúde, economia: Dez pontos do discurso de posse que ajudam a entender como será o novo mandato de Cláudio Castro

Castro toma posse no Rio: com promessa de 'ciclo virtuoso' na economia e prioridade no combate ao feminicídio