Estados alemães devem gastar 17 bi de euros com refugiados em 2016, diz Die Welt

BERLIM (Reuters) - As unidades federativas da Alemanha estão planejando gastar cerca de 17 bilhões de euros para lidar com a crise de refugiados em 2016, afirmou o jornal Die Welt nesta terça-feira, citando um levantamento que fez com ministros das Finanças.

A soma, maior que os 15,3 bilhões de euros que o governo central planejou alocar para seus ministérios da Educação e da Pesquisa neste ano, dá uma medida do estresse que a onda de imigrantes está causando no país como um todo.

A Associação de Cidades Alemãs solicitou um programa de construção de casas de larga escala para os refugiados, muitos dos quais têm dormido em ginásios escolares, edifícios corporativos e tendas.

A Alemanha é o destino favorito de centenas de milhares de refugiados em fuga dos conflitos e da pobreza no Oriente Médio e na África, em parte devido aos benefícios generosos que oferece.

Os Estados alemães vêm se queixando reiteradamente de sua dificuldade em tratar da questão, e a política de portas abertas da chanceler alemã, Angela Merkel, vem causando tensões com seus aliados conservadores.

O Die Welt afirmou que, com exceção da pequena cidade-Estado de Bremen, que não forneceu quaisquer detalhes, os planos atuais dão a entender que os gastos combinados dos Estados serão de 16,5 bilhões de euros.

(Reportagem de Michelle Martin e Hans-Edzard Busemann)