Estados do Nordeste começam a adotar medidas mais rígidas de isolamento

Gustavo Schimtt

SÃO PAULO - No Nordeste, medidas mais rígidas de isolamento começam a ser adotadas por alguns estados para conter a Covid-19, já que a região é a segunda que mais registra mortes no país, e só perde para o Sudeste.

No Maranhão, a Justiça decretou ontem lockdown - bloqueio total - em São Luís e outras três cidades que ficam na região metropolitana da capital, onde vivem ao todo cerca de 1 milhão de pessoas. As medidas, que começam a vigorar em 5 de maio, pretendem reduzir drasticamente a circulação de pessoas e tem validade de 10 dias. No estado, já são 3190 casos confirmados e 184 mortes.

Com isso, a intenção é frear o aumento do número de casos e mortes pela Covid-19. Na terça-feira, os 112 leitos de UTI da rede estadual para coronavírus estavam quase 100% ocupados. No dia seguinte, porém, foram abertos mais 27 leitos, o que reduziu temporariamente a pressão sobre os hospitais.

O pedido de adoção das medidas de restrição foi feito pelo Ministério Público do Maranhão. A decisão é do juiz Douglas de Melo Martins, da Vara de Interesses Difusos e Coletivos da Comarca da Ilha de São Luís. Os municípios de São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa são as primeiras cidades brasileiras a adotar esse tipo de medida mais dura. Segundo o magistrado, ficarão suspensas todas as atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde, com exceção de serviços de alimentação, farmácias, portos e indústrias que trabalham em turnos de 24 horas. Também está proibida a entrada e saída de veículos da ilha de São Luís, por dez dias, com exceção para caminhões, ambulâncias, veículos transportando pessoas para atendimento de saúde e atividades de segurança.

Em Pernambuco, o governo prorrogou o fechamento do comércio e serviços até 15 de maio e das escolas até o fim do mês. Já no arquipélago de Fernando de Noronha, que pertence ao estado, as regras também foram estendidas até 10 de maio. O decreto que regulamenta a medida foi assinado ontem pelo governador Paulo Câmara. O estado já registra 6876 diagnósticos confirmados e 565 mortes.

O estado proibiu o acesso às praias e aos calçadões das avenidas nas faixas de beira-mar e de beira-rio e aos parques para prática de esporte, lazer ou qualquer outra atividade. Já a suspensão das aulas permanece até o dia 31 de maio. A regra vale para escolas, universidades e estabelecimentos de ensino, público ou privado vigor até 31 de maio de 2020.

No Ceará, as regras de quarentena com restrição do funcionamento do comércio e de escolas têm validade até o dia 5, o que incluiu o fechamento do comércio e de escolas. O governo ainda avalia a possibilidade de prorrogação da medida. O estado já é o terceiro no ranking de casos no país: são 7606 registros confirmados e 482 óbitos.

De acordo com a secretaria estadual de saúde, a taxa de ocupação de leitos de UTI para Covid-19 é 96,5% na região de Fortaleza e 85,9% no Estado, até o fim da noite de ontem.