Estados Unidos analisam novas sanções contra o Irã

Manifestante segura cartaz com retrato riscado do presidente iraniano, Hassan Rouhani, durante protesto em Bruxelas, em 3 de janeiro de 2018

Os Estados Unidos analisam a possibilidade de adotar sanções contra elementos-chave do governo do Irã pela repressão aos recentes protestos, disse nesta quarta-feira (3) um alto funcionário da Casa Branca.

A definição destas sanções "requer informação e há muita informação disponível, de forma que pretendemos começar a reunir estes dados e ver o que podemos fazer", disse o funcionário à imprensa, pedindo para ter sua identidade preservada.

"Estamos analisando todas as opções", acrescentou o funcionário, destacando que o presidente tem autonomia para aplicar sanções a pessoas envolvidas em violações dos direitos humanos, censura e que impedem a liberdade de reunião.

O governo americano "usará toda informação que temos à disposição sobre quem é responsável pela repressão, quem está violando os direitos humanos, quem usa violência contra os protestos", acrescentou a fonte.

Nesta quarta-feira, o presidente Donald Trump prometeu apoio ao povo iraniano "quando chegar o momento", mas se negou a dar mais detalhes sobre alguma iniciativa neste sentido.

"Enorme respeito pelos iranianos em um momento em que tentam recuperar o controle de seu governo corrupto", escreveu em um tuíte.

"Verão um amplo apoio de parte dos Estados Unidos quando chegar o momento", acrescentou.

O governo iraniano enfrenta desde a semana passada uma onda de protestos contra a situação econômica no país.

Os protestos e a repressão já deixaram 21 mortos, a maioria manifestantes, e centenas de feridos.