Estatal venezuelana adquire 100% de empresa mista com Total e Equinor

·1 minuto de leitura
O Ministro do Petróleo da Venezuela, Tareck El Aissami, em 1º de outubro de 2020

A estatal Petróleos de Venezuela assumiu o controle de uma empresa mista na rica Faixa do Orinoco, após negociar a compra de um terço do total das ações da francesa Total e da norueguesa Equinor, informaram as partes nesta quinta-feira (29).

“A Corporação Venezuelana de Petróleo (CVP), subsidiária da Petróleos de Venezuela, SA (PDVSA), assume 100% do capital da Petrocedeño, após um processo de negociação de muito sucesso com as empresas TotalEnergies e Equinor”, anunciou o Ministério do Petróleo venezuelano em comunicado.

Não há mais detalhes sobre a transação, a não ser que foi “por um valor simbólico em troca de ampla remuneração relativa a participações passadas e futuras”, segundo a TotalEnergies, que detinha uma participação minoritária de 30,32% com a Equinor, anteriormente denominada Statoil Hydro, que detém 9,67% da empresa.

É o resultado do "reconhecimento" do que a Total chamou de "uma perda excepcional de capital" de 1,38 bilhão de dólares em seus demonstrativos financeiros da empresa.

A Equinor, por sua vez, informou que a transação "foi concluída", sem fornecer mais informações em seu site.

Localizada no estado de Anzoátegui, a Petrocedeño atua em uma região que integra o rico Cinturão do Orinoco, uma área de 55.314 km2 que abriga 220 bilhões de barris de petróleo pesado e extrapesado, a maior reserva de petróleo do mundo.

A PDVSA iniciou um “processo de reativação da atividade petrolífera” naquela área, segundo nota do ministério do petróleo.

“Este importante complexo será o eixo central do desenvolvimento desta importante bacia petrolífera”, afirmou.

atm/jt/mr/ap/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos