Estátua de Borba Gato é incendiada durante protesto em São Paulo

Grupo incendeia estátua de Borba Gato, na zona sul de São Paulo
Grupo incendeia estátua de Borba Gato, na zona sul de São Paulo
  • Um grupo não identificado incendiou a estátua de Borba Gato, na zona sul de São Paulo

  • O monumento, inaugurado em 1963, exalta o bandeirante acusado de homicídios e estupro de indígenas

  • Políticos comemoraram o ato nas redes sociais

A estátua em homenagem ao bandeirante Manuel de Borba Gato (1649-1718), localizada em Santo Amaro (zona sul de São Paulo), foi incendiada na tarde deste sábado (24), dia de protestos contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a favor da vacinação e do aumento do auxílio emergencial.

O grupo não identificado que incendiou a estátua também ateou fogo em pneus para bloquear as vias da região. Bombeiros foram acionados e controlaram as chamas.

Leia também

Borba Gato foi um dos mais importantes representantes das bandeiras expedições custeadas pela Coroa portuguesa para ocupar e explorar territórios no interior do Brasil.

Políticos comemoraram o ato contra a estátua, que retrata Borba Gato como um herói nacional. Grupos lutam para rever a imagem positiva do bandeirante, que foi acusado de homicídios e estupro de indígenas durante as expedições na época do Brasil colonial.

Assinada pelo artista plástico Júlio Guerra (1912-2001), a escultura com 13 metros de altura (incluindo o pedestal) levou seis anos para ficar pronta e foi inaugurada em 1963.

Este não foi o primeiro ato contra o monumento. Em 2016, a estátua de Borba Gato foi atacada com um banho de tinta. A mesma intervenção ocorreu no Monumento às Bandeiras, obra de Victor Brecheret (1894-1955) localizada no Parque do Ibirapuera.

Em 2020, a Prefeitura de São Paulo mobilizou viaturas da GCM (Guarda Civil Metropolitana) para proteger o monumento de atos de vandalismo.