"Estava em casa dormindo e ele deu um tiro no pescoço da minha filha", diz mãe de adolescente vítima de feminicídio na Tijuca

·2 min de leitura

RIO — O corpo da adolescente Sabrina Mikaelly do Nascimento Silva, assassinada pelo ex-namorado na madrugada do último sábado, no Morro do Turano, na Tijuca, foi sepultado no início da tarde deste domingo no Cemitério do Catumbi. A mãe da jovem não sabia que ela estava no local onde tudo aconteceu: "Estava em casa dormindo e ele deu um tiro no pescoço da minha filha", lamenta. O autor do disparo foi identificado como Guilherme Vicente do Amaral , de 21 anos, conhecido como Capetinha do Salgueiro. Ele tem mandado de prisão em aberto por roubo e está foragido desde 2019.

Muito comovida com a morte da filha, a mãe de Sabrina disse que o assassinato da adolescente foi motivado por ciúmes. Ela contou, sem querer ser identificada, que Guilherme já havia sido agressivo com Sabrina e não aceitava o fim do relacionamento.

— Ele já tinha batido nela e ela chegou a chorar muito. Ela não queria mais se aproximar dele por conta disso. Ela falou isso para mim. Depois, ela voltou atrás e reatou o namoro com ele. A minha filha foi alvejada covardemente, levou um tiro no pescoço, dado por um rapaz muito agressivo que não aceitou o fim do relacionamento e tirou a vida dela — disse.

A mãe de Sabrina diz ainda que não sabia do encontro dela com Guilherme no último sábado. Ela foi avisada pela adolescente que iria passar a noite na casa de uma amiga e lembra de, horas depois, ter sido acordada pela manhã com a notícia da morte da filha.

— Ela foi passar o fim de semana na casa de uma colega. Eu pedi para ela vir para casa, mas ela não aceitou, porque ela queria continuar saindo e eu não aceitava as saídas dela. Lá na casa dessa colega, ela podia fazer o que queria, até se encontrar com esse rapaz. Amo muito a minha filha e quero deixar um recado para as mães redobrarem os cuidados com os filhos, porque eu fiz tudo que eu podia, mas infelizmente aconteceu isso. A minha filha também me amava muito, mas as más influências e a falta de vigilância fez acontecer isso — lamenta.

O corpo de Sabrina foi encontrado baleado numa escadaria na Rua Joaquim Pizarro, no Morro do Turano, às 5h30, do último sábado. Segundo a Polícia Militar, agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Turano foram chamados para verificar a ocorrência e encontraram adolescente morta. A Defesa Civil foi acionada às 7h10 para remover o corpo da jovem, que foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) do Centro do Rio. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios da Capital (DHC).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos