'Estava sempre fazendo dieta para me encaixar nos padrões da moda', lembra a eterna top Vanessa de Oliveira

O Globo
·1 minuto de leitura

Modelo exclusiva da icônica grife Dijon na década de 1980, Vanessa de Oliveira avisa de Miami: "Adoraria voltar a modelar".

A gaúcha de 51 anos marcou época ao ser exclusiva da marca de Humberto Saade (morto em 2017), que teve também Luiza Brunet e Monique Evans. O jeans com cantoneiras metalizadas douradas marcaram época na história da moda brasileira.

Casada há 28 anos com o executivo de TV George Fauci, ela está há dois direto em Miami. "No começo de 2019, fiz uma viagem para China, Japão e Coreia. Depois, voltei para Miami, onde temos apartamento, para finalmente tirar o meu Green Card. E, na sequência, veio a pandemia", conta. "Estou quieta em casa, tenho muito medo e respeito pelo vírus."

Da década de 1980, Vanessa tem ótimas recordações. "Já era modelo em Pelotas, no Rio Grande do Sul, quando fui 'descoberta' pelo Humberto. Meu primeiro carro comprei com o meu dinheiro. Caí de bandeja na Dijon. Tive sorte, fui muito mimada pelo Humberto e pela Madeleine (mulher de Humberto)", lembra. "As roupas eram feitas para o meu corpo."

Mesmo assim, Vanessa descreve um mercado em que as modelos viviam sob pressão para seguir um padrão predeterminado de beleza: 'Sempre fui grandona, de origem alemã, vivia fazendo dieta para estar dentro de um padrão. Agora, isso tudo mudou e é maravilhoso ver a diversidade".

Em Miami, na Band News Internacional ela apresenta o quadro Brasileiros in América. Na moda, o desejo é voltar a ser fotografada. "Gostaria de fazer uma campanha de beleza com as minhas ruguinhas ou de joias, amo ser fotografada", afirma.