Estoque total de crédito no Brasil sobe 1,2% em maio puxado por pessoa física, diz BC

·1 minuto de leitura
Moedas de um real

BRASÍLIA (Reuters) -O estoque total de crédito do sistema financeiro no Brasil aumentou 1,2% em maio na comparação com o mês anterior, para 4,178 trilhões de reais, equivalente a 52,7% do Produto Interno Bruto, informou o Banco Central nesta segunda-feira.

No mês, o saldo do crédito às empresas aumentou 0,7%, enquanto para as famílias o crescimento foi de 1,7%.

No crédito livre, em que as taxas são pactuadas livremente entre bancos e tomadores, a inadimplência sofreu um ligeiro aumento, após quatro meses de estabilidade, e ficou em 3%, frente a 2,9% no período anterior.

Já o spread bancário, que mede a diferença entre a taxa de captação dos bancos e os juros cobrados dos tomadores, foi a 21,7 pontos percentuais no mesmo segmento, de 22,4 pontos no mês anterior. É o menor patamar desde novembro (21,3 pontos).

A taxa de juros média cobrada pelos bancos no crédito livre recuou 0,5 ponto percentual no mês, para 28,5%. No ano, a alta acumulada é de 3,0 p.p., refletindo o aperto da política monetária promovido pelo BC a partir de março.

No crédito direcionado, em que as condições dos empréstimos seguem parâmetros do governo, o estoque cresceu 0,6% em maio.

(Por Isabel Versiani; Edição de Maria Pia Palermo)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos