Estreia na TV tem Lula com Alckmin, choro de Bolsonaro e até Moro em SP; assista

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O primeiro programa eleitoral na televisão nas eleições deste ano teve destaque para o vice de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Geraldo Alckmin, e apresentou um Jair Bolsonaro (PL) diferente do exposto nos discursos, nas entrevistas e nas redes sociais.

No programa exibido neste sábado (27), a campanha do presidente tentou mostrar um candidato sentimental. "Bolsonaro é direto, fala o que pensa e o que sente. E como sente", afirmou o locutor numa das passagens, que seguiu com um trecho de um discurso em que ele chora.

Em suas falas, os dois adversários concentraram atenções na economia. Lula lembrou da inflação e da fome no país. "A vida do povo vai melhorar", prometeu durante o programa de televisão.

Também neste sábado, na propaganda de rádio, o petista afirmou que a população voltará a "andar de avião" e "fazer um churrasquinho".

Já Bolsonaro citou a pandemia, a Guerra na Ucrânia e a seca como justificativas para os problemas na economia, durante sua fala no programa de televisão. Ele voltou a prometer a manutenção do Auxílio Brasil de R$ 600 em 2023. O benefício começou a ser pago em agosto e vale até o final deste ano.

No rádio, o programa do presidente teve um locutor com sotaque do Nordeste. Na região, Lula conta com seu maior domínio, com 57% das intenções de voto ante 24% de Bolsonaro, segundo a pesquisa Datafolha.

A vantagem levou políticos da região filiados ao PL, partido do presidente, a aderirem ao candidato petista. Dos 142 prefeitos da sigla no Nordeste, ao menos 20 apoiam o petista e só 3 pedem voto para o presidente, mostra reportagem do jornal Folha de S.Paulo.

No espaço do horário eleitoral destinado aos políticos de São Paulo que disputam vagas na Câmara de Deputados um ex-pré-candidato à Presidência da República apareceu. Sergio Moro estava ao lado da sua esposa Rosângela, candidata a deputada federal pela União Brasil.

"A Lava Jato em São Paulo tem nome e sobrenome: Rosângela Moro", disse o ex-juiz da Lava Jato, que naufragou nas suas tentativas de ser candidato à Presidência e, depois, ao Senado por São Paulo. Após ser vetado pela Justiça de concorrer no estado, Moro candidatou-se ao Senado no Paraná.

A propaganda eleitoral será exibida, no rádio e na televisão, até o dia 29 de setembro, antes do primeiro turno. No segundo turno, serão mais três semanas, a partir de 7 de outubro.