Estreia de 'Venom 2' bate recorde da pandemia nos EUA e acena para recuperação

·3 minuto de leitura

A estreia do filme “Venom: tempo de carnificina” quebrou recordes de bilheteria neste fim de semana nos Estados Unidos. Com US$ 90,1 milhões faturados em apenas três dias, este é o maior lançamento nos cinemas desde o início da pandemia, superando o sucesso de “Viúva negra”, da Marvel, que havia arrecadado US$ 80,3 milhões na estreia.

A sequência acompanha o jornalista Eddie Brock (Tom Hardy), que cria poderes sobre-humanos quando seu corpo se funde com o alienígena Venom. A nova produção se passa um ano depois dos acontecimentos do primeiro filme, lançado em 2018, e encontra Eddie enfrentando dificuldades para se acostumar à vida com o simbionte. Enquanto tenta se restabelecer como jornalista, ele acaba entrevistando o serial killer Cletus Kasady (Woody Harrelson), que também vive com um simbionte.

O novo longa da Sony em associação com a Marvel, dirigido por Andy Serkis, também se saiu melhor que o filme anterior, que havia conseguido US$ 80 milhões no seu primeiro final de semana. Além disso, o lançamento foi o segundo maior de todos os tempos no mês de outubro nos EUA, ficando atrás apenas do campeão “Coringa”, que estreou em 2019 atingindo a marca dos US$ 96,2 milhões.

Tempo de otimismo

As altas cifras alimentam o otimismo em relação à volta do público aos cinemas. Com as incertezas da pandemia, a Sony havia adiado a estreia de "Venom: tempo de carnificina" do fim de setembro para 15 de outubro, mas acabou mudando de estratégia e adiantando o lançamento diante do sucesso de bilheteria de "Shang-Chi e a lenda dos dez anéis". O primeiro filme da Marvel estrelado por um super-herói de origem asiática arrecadou mundialmente mais de US$ 386 milhões desde que chegou às telonas em 2 de setembro.

Fora dos EUA, o que dominou as salas de cinema neste fim de semana foi a estreia de "007: sem tempo para morrer", que registrou U$119 milhões de bilheteria em mais de 50 países, incluindo o Brasil. Por aqui, o filme da Universal faturou quase R$ 1,2 milhão em seu primeiro dia, de acordo com os números estimados do Filme B Box Office Brasil. Já no Reino Unido e na Irlanda, o título arrecadou US$ 11,4 milhões no sábado, alcançando o maior dia de bilheteria de qualquer filme da série.

O filme que traz Daniel Craig pela última vez na pele do superagente James Bond só será lançado na América do Norte na semana que vem, mas já figura como o primeiro título de Hollywood da era pandêmica a ultrapassar US$ 100 milhões em um lançamento estrangeiro, sem a China.

Diante da onda de recuperação que começou com a comédia "Free guy: assumindo o controle", com Ryan Reynolds (lançada em 11 de agosto, a produção já alcançou US$321 milhões em todo o mundo), a Disney anunciou que seus próximos filmes de 2021 chegarão com exclusividade aos cinemas por 45 dias antes de serem transmitidos na plataforma de streaming Disney+. A aposta contraria ainda a estratégia de estreia híbrida, que vinha criando atritro com algumas estrelas, como a atriz Scarlett Johansson.

Na lista de próximas estreias estão a produção da Marvel "Eternos", que chega às telonas em 5 de novembro, e o aguardados "Homem-Aranha: sem volta para casa", em 17 de dezembro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos