Estudante de 18 anos é assassinado na frente da namorada em praça do DF

BRASÍLIA, DF (UOL/FOLHAPRESS) - Um estudante de 18 anos foi morto durante um assalto em uma praça na QR 208 de Samambaia (DF). Bernardo Brasil Peres estava sentado com a namorada quando o casal foi abordado por um homem, na última sexta-feira (3). Mesmo sem reagir à investida, o jovem foi atacado com uma facada no tórax e não resistiu ao ferimento.

As câmeras de segurança de um comércio localizado em frente à praça registraram o crime. Nas imagens, por volta de 21h50, dois homens aparecem na rua. Eles caminham e observam Bernardo e a namorada. Um deles, que está vestido de moletom azul e bermuda, caminha até as vítimas e anuncia o assalto. A namorada do jovem chega a cair no chão e, numa ação rápida, o autor esfaqueia Bernardo e foge com a mochila do jovem e os celulares do casal.

A namorada acionou o Corpo de Bombeiros e o jovem foi levado para o Hospital Regional de Taguatinga. Ele foi declarado morto minutos após dar entrada na unidade.

O corpo do jovem foi enterrado ontem (04) no cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. Segundo familiares, o estudante — que morava em Águas Claras — voltava do cinema com a namorada e a acompanhava a caminho de casa. Ele tinha pedido a garota em namoro horas antes do crime.

SONHAVA EM SER MÉDICO

O morador do Distrito Federal tinha se formado recentemente no Ensino Médio, no Colégio Militar de Brasília (CMB). Fazia cursinho pré-vestibular para medicina e era apaixonado por esportes.

Ao UOL, a mãe da vítima, Andréia Melati Brasil, disse que a família está em choque. Segundo ela, o filho era um menino maravilhoso, de bom coração e de boa índole — e seu melhor amigo.

"Meu filho era excelente, era tão meu amigo, meu companheiro. Ele era tão amigo dos amigos. Ele era uma pessoa assim, para cima, alto astral, disciplinado. Era um exemplo para mim. Eu admirava muito isso nele. Gostava muito de fazer exercício físico, praticava calistenia [treino que usa o próprio peso do corpo]. Um jovem admirável", disse a professora.

Andréia não conhecia a namorada do filho, já que era um relacionamento recente, até o momento do velório.

"Meu filho entregou tudo o que ele tinha. Ficou na frente da namorada e acho que foi interpretado como reação. Eu recebi a notícia por um amigo. A notícia inicialmente era que ele tinha sido assaltado e que estava no hospital. Então eu saí de casa pensando que encontraria meu filho machucado. Nunca imaginei que eu ia ter essa notícia de que meu filho tinha morrido. A faca atingiu o coração e ele se foi", disse emocionada.

O jovem, segundo Andréia, tinha o sonho de participar do Médicos Sem Fronteiras, uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por graves crises humanitárias.

Ele era um menino de ouro, não era porque era meu filho, mas ele tinha um coração maravilhoso. Ele falava mal de ninguém sabe? Tinha sonhos. Ele tinha acabado de terminar o ensino médio e disse assim: "Mãe, eu quero fazer medicina. Tenho sonho de ir para o Médicos sem Fronteiras. Você deixaria eu ir? Eu disse: 'Nossa, meu filho, só por você pensar nisso você já é merecedor de passar nesse curso'. É uma perda, uma tragédia na minha vida.

INVESTIGAÇÃO

O caso é investigado pela 26ª Delegacia de Polícia, localizada em Samambaia, e é tratado como latrocínio — roubo seguido de morte. Até o momento, nenhum suspeito foi localizado.

Ao UOL, o delegado Rodrigo Larizzatti disse que, no momento, não serão prestadas mais informações sobre o caso para não atrapalhar as investigações, "em curso desde o primeiro momento em que a delegacia recebeu a notícia dos fatos".

Questionada sobre a segurança na região de Samambaia, a Polícia Militar informou que o policiamento é realizado, por meio de rondas, de forma sistemática e ininterrupta em toda a região.

"O policiamento na região é feito com viaturas e motos, além de reforços periódicos de unidades especializadas da corporação", disse em nota.