Estudante alemão cria máquina de holograma 3D inspirada em 'Star Wars'

O estudante alemão de tecnologia de mídia Jan Jessen criou um holograma inspirado em Star Wars capaz de representar seus movimentos com o uso de uma câmera e programação. Filmado em 18 de fevereiro, o vídeo mostra Jan configurando o dispositivo e realizando o movimento direcionado ao computador, enquanto o holograma demonstra exatamente o mesmo movimento com o uso de luzes LED. O holograma fazia parte da tese de bacharelado de Jessen em tecnologia de mídia, na qual ele tentou determinar "quão perto é possível chegar de alcançar a aparência de tecnologias ficcionais com meios simples e baratos?". O resultado se assemelha às comunicações tridimensionais e holográficas vistas com frequência na franquia de "Star Wars". Ele explicou em detalhes exatamente como a máquina funciona: "Displays de Persistência da Visão não são algo novo. Essa tecnologia é frequentemente usada ​​como um atrativo barato em ventiladores portáteis, rodas de bicicleta e outros, mas na verdade são apenas 2D com transparência. Esse é realmente 3D; eu usei um painel de LEDs capaz de acender muito rápido, o que é necessário para este projeto. A maioria dos outros tipos de tela tem um brilho residual que mancharia a imagem. Os pixels no painel só são ligados quando estão na posição correta no espaço 3D. Quando o painel girava mais - alguns milissegundos depois - os LEDs desligavam novamente ou mostravam o próximo pixel. A parte divertida deste projeto foi me fazer aparecer ao vivo na tela. Usei uma câmera de profundidade antiga (Microsoft Kinect) porque para mostrar imagens 3D é preciso primeiro capturá-las em 3D! O Kinect está conectado ao meu notebook, que faz todo o trabalho pesado de calcular os dados volumétricos. Então, eles são enviados para o display por meio de um sinal wi-fi comum, o que significa que - exceto pela energia e um pouco das estruturas – a tecnologia é sem fio e portátil! Mas no final das contas, este é apenas um projeto avançado de um estudante. Parece legal, eu o projetei para parecer legal, esse é o propósito. Mas nada nesse projeto é especialmente novo, inovador, digno de um financiamento coletivo na internet ou algo similar. Eu construo coisas chamativas como meu trabalho agora, mas elas não devem ser confundidas com inovações de fato."