Estudante condenado por "extremismo" na Rússia

(Arquivo) A polícia russa deteve um manifestante durante um protesto não autorizado da oposição em Moscou

A justiça russa condenou nesta sexta-feira um estudante e blogueiro a três anos de prisão, mas com suspensão condicional da pena, por "extremismo", uma pena considerada clemente em um caso que gerou grande mobilização no país.

Egor Yukov, de 21 anos e estudante da prestigiosa Alta Escola de Economia (HSE) de Moscou, que tem 154.000 seguidores no YouTube, foi detido após sua participação em um protesto não autorizado da oposição em julho em Moscou.

Ele foi acusado de "incitação" ao extremismo pelo conteúdo de alguns de seus vídeos, nos quais defende "lutar brutalmente contra o sistema".

"A culpa do acusado está confirmada", afirmou a juíza de um tribunal de Moscou, que citou "sentimentos de ódio e repúdio ante a ordem constitucional".

Mas ao condená-lo a três anos de prisão com suspensão condicional, quando a Promotoria desejava quatro anos de detenção, a juíza foi mais clemente que o esperado em um caso que chamou a atenção na Rússia.

Vários simpatizantes de Yukov estavam reunidos no tribunal para manifestar apoio.

Outras pessoas detidas após a participação nas manifestações organizadas durante o verão em Moscou também serão julgadas.

Os manifestantes protestaram contra o veto a vários candidatos de oposição nas eleições locais de setembro.

A maioria dos protestos não foi autorizada. No total, 2.700 pessoas foram detidas e várias foram condenadas a penas de até quatro anos de prisão.