Estudante da USP denuncia tentativa de estupro dentro do campus

Estudante sofre tentativa de estupro quando voltava do IAG-USP à noite. Foto: Reprodução/IAG USP.
Estudante sofre tentativa de estupro quando voltava do IAG-USP à noite. Foto: Reprodução/IAG USP.
  • Estudante denuncia que campus estava sem iluminação durante a noite

  • Crusp, a residência da USP, ficou sem energia elétrica todo o domingo

  • Segundo a vítima, campus estava sem policiamento

Na noite do último domingo (8), uma jovem estudante da Universidade de São Paulo (USP) sofreu uma tentativa de estupro dentro do campus da CIdade Universitária, na zona Oeste da capital paulista.

Em postagem no Twitter, a jovem relata que o Crusp (Conjunto Residencial da USP), onde vivem alunos que dependem da infraestrutura da universidade para se manter estudando, ficou sem energia elétrica durante todo o domingo. A informação foi confirmada ao Yahoo Notícias por outros moradores do local.

A jovem precisava estudar e trabalhar e, por isso, se deslocou até o prédio do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG-USP), localizado a cerca de 2 quilômetros do Crusp, ainda dentro do campus. Quando retornava para casa, por volta das 18h15, ela encontrou as ruas sem nenhuma iluminação.

Em vídeos publicados em seu perfil do Twitter, a estudante mostra a escuridão que precisou atravessar. Enquanto filmava o caminho, usando o flash da câmera para tentar iluminar, um homem se aproximou dela e começou a assedia-la.

"Enquanto tentava iluminar o caminho e filmar senti alguém se aproximando, logo após esse vídeo, então guardei o celular por medo”, escreveu. “Enquanto passava entre os bancos, um homem saiu de algum lugar e quando percebeu que eu era uma mulher começou a me assediar.”

“Disse pra aproveitarmos o escuro, que ninguém ia ver, pra eu sentir o p*u dele. Minha única reação foi correr o máximo que eu pude na direção da praça do relógio, tentar fugir ou alcançar algo pra me defender”, contou. “Consegui escapar, mas ainda estou em pânico.”

Ainda segundo a vítima, ela não encontrou nenhum policial ou guarda universitário em todos os 2 quilômetros que atravessou até voltar ao Crusp. Ela ainda denunciou que essa não é a primeira vez que moradores da residência ficam sem energia elétrica aos finais de semana, o que também foi confirmado ao Yahoo por outros moradores.

A reportagem tentou contato com a SAS (Secretaria de Assistência Social), responsável pelo Crusp, e não obteve retorno até a publicação.