Estudante passa cinco meses presa por engano no Acre: “Fui humilhada”

·2 minuto de leitura
Estudante foi presa no lugar de homônima (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)
Estudante foi presa no lugar de homônima (Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre)

Uma estudante foi liberada do presídio na cidade de Cruzeiro do Sul, no Acre, na última segunda-feira, após ficar detida cinco meses por engano. Janaína, de 23 anos, não tinha nenhuma relação com o mundo do crime, a não ser o nome semelhante ao de uma traficante.

A estudante Janaína Araújo Silva foi presa pela Polícia Civil no lugar de Janaína Araújo da Silva, denunciada por tráfico de drogas e organizações criminosas. A traficante morava em Belém-PA e pôde aproveitar a liberdade enquanto sua quase homônima vivia o que ela mesmo definiu como “os piores dias da vida”.

“Fui humilhada, desacreditada, sofri e tive os piores dias da minha vida", declarou Janaína ao G1. “Sou estudante, perdi mais de um ano de estudo e um emprego que minha irmã ia conseguir pra mim, além de muitas coisas que poderia ter aproveitado. Não tinha ansiedade, problemas para dormir e passei a ter durante esses meses. Estou à base de remédios.”

Leia também

O prejuízo só não foi maior porque o erro foi descoberto quando a mãe da estudante foi tentar visitá-la na prisão. Seus dados, porém, não batiam com os que estavam no sistema, pertencentes à mãe da criminosa de fato. A família, então, contratou um advogado e conseguiu provar que Janaína estava presa injustamente.

O Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) afirmou ao G1 que o erro da prisão aconteceu no momento do cumprimento do mandato. Já o Tribunal de Justiça do Acre (TJ-AC) garantiu que a Corregedoria-Geral está levantando informações sobre o caso e fará uma apuração detalhada. A Polícia Civil, por fim, disse não ter registro de nenhuma prisão neste sentido e prometeu tentar entender de onde partiu a detenção em outras forças policiais.