Estudantes de medicina cubanos buscam pacientes de Covid-19

Cubanos passam por poster de Fidel Castro em Havana

Mais de 28.000 estudantes de medicina cubanos estão participando de uma "pesquisa ativa" que ocorre na ilha, no nível do bairro, para detectar casos do novo coronavírus, anunciou uma autoridade local na sexta-feira.

Essa "nova tarefa" consiste em "detectar qualquer caso precocemente e impedir que pessoas com a doença a transmitam a outras pessoas", explicou Jorge González, presidente da Universidade de Ciências Médicas de Havana, em entrevista coletiva.

Na "pesquisa ativa", iniciada na terça-feira, "mais de 28.000 estudantes de ciências médicas participam", acrescentou González, sugerindo que esse número poderá aumentar.

Ele ressaltou que estudantes universitários e profissionais do Ministério da Saúde (Minsap) visitaram "mais de um milhão de pessoas" até quinta-feira e detectaram "vários casos importantes de infecções respiratórias agudas".

Os dados coletados são entregues ao Minsap, responsável "por realizar uma investigação epidemiológica mais profunda", afirmou.

Cuba possui 25 faculdades de ciências médicas e uma Escola Latino-Americana de Medicina (ELAM) em Havana.

uba, que tem 16 casos confirmados do novo coronavírus, quase todos vindos do exterior e um morto, anunciará novas medidas nesta sexta-feira para fortalecer seu plano nacional de prevenção e controle do Covid-19.