Estudo confirma que neandertais praticavam canibalismo

neandertal

Uma das práticas que mais causa repulsão à sociedade é o canibalismo. Pessoas devorando umas às outras acabam criando uma cena que choca qualquer um, certo? Não a toa, a prática é criminosa e completamente escorraçada do nosso convívio em sociedade.

Mas nossos ancestrais não pensavam assim.

Um novo estudo, conduzido pela Universidade do Estado da Califórnia, nos Estados Unidos, comprovou que os neandertais se alimentavam uns dos outros. Comprovada agora, a teoria já é antiga no meio científico.

A equipe liderada pela antropóloga francesa Hélène Rougier achou ossos de Neandertais com sinais de desmantelamento na Bélgica. Os resquícios encontrados pertenciam a seis indivíduos: um bebê, quatro adultos e uma criança.

De acordo com os pesquisadores, os ossos tinham marcas de fraturas e cortes muito parecidos aos vistos em ossadas de cavalos e renas. A técnica serve para facilitar a retirada da carne e extração da medula.

Os pesquisadores liderados por Rougier acreditam que os esqueletos encontrados estão no local há pelo menos 40 mil anos. A época coincide exatamente com a época em que os Neadertais estavam chegando ao fim enquanto o Homo sapiens, nossa espécie, já saía da África para colonizar o resto do mundo.

A única dúvida até o momento é sobre as motivações que levavam à antropofagia. As dúvidas giram em torno de duas possibilidades: se era alternativa à falta de alimento ou uma forma primitiva de ritual religioso, como ocorria, por exemplo, em tribos de índios no Brasil.