Estudo confirma recorde no número de homicídios por armas de fogo nos EUA

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O número de mortes por armas de fogo nos Estados Unidos registrou um recorde em 2020, segundo relatório do Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) publicado nesta terça-feira (10). O órgão classificou o aumento de histórico.

No ano, o último do governo Donald Trump e o primeiro da pandemia de Covid-19, foram contabilizados 19.350 homicídios, crescimento de quase 35% em relação a 2019. Também foram registrados 24.245 casos de suicídio —aumento de 1,5% na comparação com o ano anterior.

De acordo com o CDC, a questão é "um problema de saúde pública persistente e significativo".

A taxa de homicídios no país ficou em 6,1 a cada 100 mil habitantes em 2020, recorde em mais de 25 anos. O índice, conforme a pesquisa, subiu consideravelmente entre homens, adolescentes e jovens adultos de comunidades afro-americanas e indígenas, além de regiões mais pobres do país.

Os números estão abaixo do que é registrado no Brasil, onde há 23,6 homicídios por 100 mil habitantes.

Os dados apresentados nesta terça pelo CDC reforçam os que foram divulgados pelo FBI, a polícia federal americana, em setembro do ano passado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos