Estudo do Reino Unido mostra que é baixo o risco de infecção grave por Covid-19 em crianças

·2 minuto de leitura
People take part in a demonstration against Brazilian President Jair Bolsonaro, in Rio de Janeiro, Brazil, on July 3, 2021.  (Photo by Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)
Foto: Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images
  • Pesquisadores de diversas universidades avaliaram dados do país

  • Risco maior está relacionado à doença prévia

  • Brasil tem quadro de mortalidade infantil muito mais preocupante

Um estudo da University College London e das Universidades de York, Bristol e Liverpool, no Reino Unido, mostrou que o risco geral de infecções graves e mortes entre crianças por Covid-19 é extremamente baixo.

O estudo avaliou os dados dos 12 primeiros meses de pandemia na Inglaterra, que mostraram que 25 menores de idade morreram de Covid-19.

O maior risco está entre aqueles que possuem doenças crônicas e neurodeficiências, que ainda assim é baixo.

Agora, o grupo consultivo de vacinas do Reino Unido avalia os resultados do estudo. Hoje, menores de 18 anos, com e sem comorbidade, não estão sendo vacinados no país.

Os pesquisadores afirmam que o estudo é o mais completo sobre crianças e o Covid-19 feito até agora em todo o mundo. Foram avaliados dados de saúde pública da Inglaterra, que revelaram que as mortes pela doença entre menores de 18 anos ocorreram em pessoas com problemas de saúde anteriores.

Entre os menores de idade que faleceram de Covid-19, mais ou menos 15 deles tinham condições pré-existentes ou limitantes de vida, incluindo 13 que viviam com neurodeficiências complexas. Outras seis crianças não tinham registrado doenças pré-existentes nos últimos cinco anos, mas os pesquisadores alertam que algumas doenças podem ter passado despercebidas.

Leia também:

Outras 36 crianças testaram positivo para Covid no momento do óbito, mas faleceram de outras causas, segundo a análise.

Outro dado levantado é que, embora os riscos gerais ainda fossem baixos, crianças e jovens que morreram eram mais propensos a ter mais de 10 anos e ser de etnias negra e asiática.

Segundo o estudo, estima-se que ocorreram 25 mortes entre as cerca de 12 milhões de crianças que residem no Reino Unido, o que indica uma taxa de mortalidade de 2 a cada milhão de crianças.

No total, desde o início da pandemia, cerca de 128.301 pessoas morreram no Reino Unido até 28 dias após um teste de coronavírus positivo.

No total, segundo o estudo, cerca de 5,8 mil crianças foram internadas em hospitais com o vírus. Dessas, 250 precisaram de tratamento intensivo. Foram 690 crianças internadas por uma condição inflamatória rara ligada à Covid, chamada de síndrome multissistêmica inflamatória pediátrica (PIMS-TS).

Mortalidade infantil por Covid no Brasil

No Brasil, mais de 2 mil crianças com menos de nove anos já morreram de Covid-19 desde o início da pandemia até abril de 2021, segundo projeções da BBC News Brasil. Dessas, 1,3 mil tinham menos de um ano de idade.

O país é recordista no mundo em mortes de crianças pelo coronavírus. Especialistas avaliam que esse é o resultado de baixa testagem, falta de diagnóstico adequado e más condições socioeconômicas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos