Estudo revela que perda do olfato em pacientes com Covid-19 se deve a inflamação: 'Neurônios infectados'

·2 minuto de leitura
SAO PAULO, May 4, 2021 -- People wearing face masks walk on the street in Sao Paulo, Brazil, on May 4, 2021. Brazil reported on Tuesday 77,359 new COVID-19 cases, raising the total number of infections to 14,856,888. (Photo by Rahel Patrasso/Xinhua via Getty) (Xinhua/Rahel Patrasso via Getty Images)
A mesma pesquisa descobriu que os testes de PCR clássicos entre doentes sem olfato podem não detectar o vírus porque o patógeno pode "persistir no fundo das cavidades nasais" (Foto: Rahel Patrasso/Xinhua via Getty)
  • Um estudo revelou que a perda de olfato em alguns casos de pacientes com Covid-19 não se deve "a um edema na fenda olfatória", mas a uma infecção dos neurônios sensoriais

  • O resultado refuta uma das hipóteses, aceitas até agora, sobre a perda de olfato neste grupo que creditava a condição a um "edema transitório no nível da fenda olfatória que impede a passagem de moléculas de odor para as células nervosas olfatórias"

  • A mesma pesquisa descobriu que os testes de PCR clássicos entre doentes sem olfato podem não detectar o vírus porque o patógeno pode "persistir no fundo das cavidades nasais"

Um estudo revelou que a perda de olfato em alguns casos de pacientes com Covid-19 não se deve "a um edema na fenda olfatória", como se acreditava até agora, mas a uma infecção dos neurônios sensoriais. 

A pesquisa foi publicada nesta terça-feira (11) pelo Instituto Pasateur, da França, na revista Science Translational Medicine. De acordo com os cientistas, a inflamação nos neurônios sensoriais "provoca uma inflamação persistente" do sistema nervoso olfatório. 

Leia também

"Descobrimos que os neurônios sensoriais são infectados pelo vírus Sars-CoV-2, assim como o nervo olfatório e os centros nervosos olfatórios no cérebro", explica o pesquisador Pierre-Marie Lledo, coautor do estudo.

O resultado refuta uma das hipóteses, aceitas até agora, sobre a perda de olfato neste grupo que creditava a condição a um "edema transitório no nível da fenda olfatória que impede a passagem de moléculas de odor para as células nervosas olfatórias". Ou seja, criando uma congestão nasal.

Os cientistas encontraram "uma infecção de neurônios sensoriais" entre os doentes e um aumento das células imunitárias no órgão sensorial.

Teste PCR em doentes sem olfato podem não dectar a Covid-19

Em outras palavras, isso pode acarretar "uma inflamação persistente do epitélio olfatório e do sistema nervoso olfatório", levando a uma perda temporária do olfato.

O mesmo estudo também descobriu que os testes de PCR clássicos de nasofaringe entre doentes sem olfato podem não detectar o vírus porque o patógeno pode "persistir no fundo das cavidades nasais".

Segundo a agência francesa EFE, o estudo alerta que "a infecção dos neurônios olfatórios pode constituir uma porta de entrada ao cérebro", motivo pelo qual sugere novas pesquisas para saber "por que certos pacientes (com covid-19) desenvolvem manifestações clínicas de ordem psicológica, como ansiedade ou depressão, ou neurológicas, como susceptibilidade de desenvolver uma doença neurodegenerativa".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos